Pronatec foi uma das bandeiras de Dilma durante as eleições de 2014. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.

Tamanho da fonte: -A+A

O governo federal deixou de pagar as aulas dadas desde outubro pelas 500 escolas privadas participantes do Pronatec, programa que oferece cursos técnicos gratuitos subsidiados pela União. 

Depois da divulgação da informação, feita pela Folha de São Paulo na manhã desta quinta-feira, 19, o Ministério da Educação anunciou que liberou R$ 119 milhões para "regularizar o fluxo de pagamento" às escolas.

Por causa do atraso, donos de instituições de ensino afirmaram à Folha que estão tendo de pegar empréstimo bancário e adiar pagamento de professores.

Os repasses do governo são feitos de acordo com o número de alunos matriculados pelo programa em cada escola. 

Segundo o governo, os repasses deste ano estão regularizados, já que "o pagamento de cada parcela pode ser feito em até 45 dias após o vencimento do mês de referência".

Para o jornal Folha de S. Paulo, o governo teria confirmado que o repasse de janeiro não foi feito devido ao atraso na aprovação do Orçamento 2015.

Criado em 2011, o Pronatec oferece cursos técnicos e de formação inicial ou continuada com foco na qualificação profissional. 

Nos últimos três anos, mais de oito milhões de matrículas foram feitas por meio do Pronatec. Deste total, 7% foram feitas em escolas particulares. 

No ano passado, R$ 640 milhões foram repassados para instituições privadas por meio do programa, segundo dados do Ministério da Educação. 

Em junho passado, a presidente Dilma Rousseff anunciou a criação de mais 12 milhões de vagas em cursos técnicos a partir de 2015.