Operadores na Bovespa. Foto: flickr.com/photos/rednuht.

A BM&FBovespa deve fechar o ano com o pior desempenho entre as bolsas do G-20, com uma queda de 17%. 

De acordo com o levantamento feito pelo Broadcast, serviço da Agência Estado, os problemas domésticos e as preocupações com as mudanças na economia norte-americana levaram os investidores a diminuírem suas aplicações em rendas variáveis.

Dessa forma, conforme o Estadão, o índice Bovespa iniciou o ano com 62 mil pontos e agora tenta não retornar aos 49 mil pontos. 

Em dólar, o recuo atinge os 28%.

O ano também foi ruim para a Turquia, que foi a segunda pior bolsa do grupo. O país também registrou protestos da população e percebeu a desaceleração da economia. Até a última sexta-feira, 13, a queda era de 5,3%. 

As outras instituições em baixa estão em mercados emergentes: o RTS da Rússia perdeu 4,3%, o Jakarta Composite da Indonésia recuou 2,5%, o IPC do México caiu 2,3%, o Shanghai Composite de Xangai cedeu 1,8% e o índice Kospi da Coreia do Sul desvalorizou 1,6%. 

Na bolsa de Tóquio, o ritmo é outro: o índice Nikkei teve alta de 48%, resultado de uma nova política econômica do governo Shinzo Abe.

Em Wall Street, a Nasdaq subiu 34%, S&P 500 ganhou 27% e o Dow Jones já avançou 23%. Na Europa, a Bolsa de Frankfurt ganhou 19%, Paris somou 16,5% e Londres subiu 14%.

Nesse mesmo ritmo e se opondo aos outros emergentes, o índice Merval, de Buenos Aires, teve alta de 86% em pesos ou 42% em dólares.