Fellipe Guimarães e Rafael Bluvol, sócios da Instaby. Foto: Divulgação.

O Instaby é uma startup com um plano ambicioso: transformar as fotos do Instagram em uma plataforma de e-commerce.

Apesar de ser muito usado por marcas para divulgação de produtos, a rede social de fotos dificulta converter as visitas em vendas por não permitir links que direcionem o usuário para outros sites, nos quais seria possível fechar uma venda. 

O Instaby quer resolver essa questão, criando uma timeline com as mesmas fotos postadas pela marca no Instagram, mas com o endereço de compra do produto divulgado.

O único espaço disponível para um link no Instagram é a capa do perfil, na área conhecida como “bio”. As marcas que utilizam o Instaby podem colocar o endereço da timeline alternativa neste local. 

Elas podem avisar aos usuários que os interessados por um produto postado no Instagram podem encontrar as informações de compra no Instaby.

Rafael Bluvol e Fellipe Guimarães, sócios da Instaby, criaram a ferramenta  ao conhecerem uma plataforma americana com propósito semelhante. 

No Instaby, as fotos postadas no Instagram são replicadas e se tornam clicáveis, direcionando o consumidor para a página de compra.  

"Sem o Instaby, os usuários que se interessam por uma peça no Instagram precisam procurar o site da marca e buscar o produto na loja virtual. Com a ferramenta, cada foto leva o consumidor diretamenta para a página de compra do produto publicado", explica Bluvol.

A proposta já foi comprada por alguns clientes de porte, incluindo Cia. Marítima, Sephora, Animale, Hotel Urbano e Polishop. Desde seu lançamento, a empresa conquistou cerca de 15 marcas. Até o final do ano, a meta é chegar a 1 mil clientes.

O Instaby trabalha com um sistema de cobrança por comissão, ou seja, quando um consumidor do e-commerce faz uma compra a partir do clique no Instaby, parte do valor é destinado a empresa.

Antes de lançar a ferramenta, Bluvol foi consultor de e-commerce da Rosset Têxtil, gerente de e-commerce da Marcyn Online e gerente comercial da Pristec.

Já Guimarães atuou como analista de BI do Banco Santander e desenvolvedor web da Directa Click. Ele também fundou a Code By, uma empresa de desenvolvemento web que já atendeu a clientes como Valisere, Valfrance, Cia Maritima, Marcyn, Uz Games e NC Games.

Hoje o Instagram conta com mais de 300 milhões de usuários ativos mensais. Em 2012, a empresa foi comprada pelo Facebook por US$ 1 bilhão.