Foto: flickr.com/photos/creative_tools

O aparelho Kinect, usado no videogame Xbox, da Microsoft, deixou a sala de estar e foi para a sala de cirurgia no Hospital Evangélico de Londrina.

A TI da instituição desenvolveu uma solução chamada Intera – Centro Cirúrgico.

O sistema propõe um novo método em ambiente cirúrgico, que até o momento utilizava o negatoscópio (caixa de luz) para a leitura dos filmes de raios-X, estáticos.

O método exigia a interferência dos profissionais de saúde na manipulação dos exames e na troca dos filmes, conforme a necessidade do médico durante os procedimentos.

Com o Intera, é possível selecionar e visualizar imagens diversas ao mesmo tempo apenas com os gestos das mãos, à distância. Também se pode ampliar, excluir, organizar as imagens e ainda assistir aos vídeos e exames.

Segundo relatado ao site TI Inside por Cezar Martinelli, gerente da TI do Hospital, a solução é apenas o começo de uma série de aplicativos que já estão sendo desenvolvidos.

“O médico poderá agendar a sala e já selecionar os exames necessários, por meio do nosso sistema, deixando tudo preparado, mesmo estando fora do hospital”, diz Martinelli.

Segundo Martinelli, a ideia é facilitar o cotidiano dos profissionais de saúde, visando otimizar, dar autonomia, reduzir riscos – como infecções ou a falta dos exames para a cirurgia –, dentre outros.

O Intera – Centro Cirúrgico está em teste no Hospital desde janeiro deste ano, com a projeção de ser instalado em suas 12 salas ainda neste semestre.

Durante o processo de desenvolvimento do projeto, a área de TI contou com a ajuda da empresa Activate3D, de Atlanta, nos Estados Unidos, responsável pelo software de desenvolvimento gratuito utilizado no Intera.