VAI QUE VAI

Setor têxtil de SC cresce acima da média nacional

18/06/2013 15:27

Dados foram apresentados em reunião da Câmara de Desenvolvimento da Indústria Têxtil, do Vestuário e do Calçado da Fiesc. Foto: Filipe Scotti.

Tamanho da fonte: -A+A

Enquanto o número de indústrias do setor têxtil e de vestuário brasileiro cresceu 14,7% entre 2008 e 2012 e o número de empregados apenas 0,2%, Santa Catarina elevou o número de estabelecimentos em quase 18% e o de trabalhadores, em 5,4%.

Os dados são do Relatório Setorial Santa Catarina Têxtil 2013, apresentado nesta terça-feira, 18, durante reunião da Câmara de Desenvolvimento da Indústria Têxtil, do Vestuário e do Calçado da Fiesc.

“Santa Catarina é hoje o segundo principal polo do país, atrás de São Paulo, mas pode tornar-se líder nos próximos cinco anos, se mantidas as taxas de crescimento”, avalia o diretor do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI), responsável pelo estudo, Marcelo Prado.

O relatório mostra que o segmento de vestuário catarinense se destacado na produção de confeccionados (9,6%, contra 1,3% no país), de fabricação de têxteis (0,6%, enquanto o Brasil caiu 6%), e no aumento no valor da produção de confecções (31% em Santa Catarina e 29,3% no nacional).

Apesar do desempenho superior, o setor também possui desafios a serem superados, em campos como logística e custo da energia elétrica.

Para debater a solução destes problemas, a câmara do setor discute a criação da frente parlamentar da indústria têxtil na Assembleia Legislativa (Alesc).

“Para o estado continuar crescendo é preciso ajudar o empresário a entender melhor os comportamentos de moda. Diversas empresas estão crescendo a taxas muito superiores ao PIB por terem essa capacidade", acrescenta o presidente da câmara da indústria têxtil e do calçado, Sérgio Pires.

Veja também

100% DE ADERÊNCIA
MC1 e Brandili: solução única para têxtil

Empresa paulista de mobilidade fez parceria com a fabricante catarinense de roupas para criar uma ferramenta de vendas 100% aderente ao segmento têxtil.

DOBREVÊ
Holding da indústria têxtil vai de SAP com FH

A Dobrevê Participações, holding de capital fechado detentora das marcas Malwee, Zig Zig Zaa, Liberta, Carinhoso e Enfim, adotou o ERP da SAP, com implantação da FH Consulting, de Curitiba, em conjunto com o time de pré-vendas da multinacional alemã.

Santana Textiles: e-mail na nuvem com Softcorp

O Grupo Santana Textiles, indústria cearense do setor têxtil e de vestuário, adotou a plataforma em nuvem Microsoft Exchange Online para integrar e gerir uma estrutura formada por 26 domínios, e-mails baseados em Lotus Dominus 8.5, dois servidores de Lotus Notes, usada por cerca de 800 usuários.

O projeto foi implantado em duas semanas pela Softcorp, empresa IdeiasNet com unidades em São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Ceará e Pernambuco.

Linx renova ERP para varejo de vestuário
A Linx Sistemas lança a versão 8.0 de seu ERP para empresas de varejo e vestuário, o Linx Global Fashion.
INTEGRAÇÃO
Abicalçados e GS1: calçadistas padronizados

O projeto, divulgado durante o evento Brasil em Código, realizado pela GS1 em São Paulo nesta quinta-feira, 14, visa a ampliar a padronização de sistemas de identificação, abastecimento, logística e gestão da cadeia de suprimentos da área.