EM DEBATE

Assespro-RS: APL de software e terceirização

18/05/2012 16:04

Tamanho da fonte: -A+A

Em reunião da diertoria e associados da Assespro-RS na próxima segunda-feira, 21, será anunciada a criação do Arranjo Produtivo Local (APL) da Indústria de Software no Rio grande do Sul, nos moldes do que ocorreu no Paraná.

Além disso, a entidade irá debater resultados obtidos no encontro realizado em 16 de maio com o deputado Arthur

Maia (PMDB), relator do projeto de terceirização de mão de obra, a ser encaminhado ao Congresso nos próximos meses.

Conforme Jeovani Salomão, diretor de Relações Institucionais da Assespro Nacional que esteve presente no encontro com Maia, defende mudanças no texto do projeto.

“Sugerimos a previsão de tratamento diferenciado para empresas que não têm empregados, exclusão da possibilidade de terceirização apenas para os casos de barriga-de-aluguel ou agenciadoras de mão de obra e o acréscimo de que a garantia de 8% prevista seja de faculdade da contratante”, argumenta Salomão.

A reunião também terá a entrega do Prêmio Melhor TCC para alunos da UFRGS e lançamento de um evento da Assespro-RS para a área de cloud computing, a ser realizado em 14 de junho.

Por fim, a entidade também irá agendar a pauta de reuniões com candidatos à prefeitura de Porto Alegre.

O encontro acontece às 18h30, na sede da Assespro-RS, no Tecnopuc (Ipiranga, 6681 - Prédio 96D, sala 208).

Veja também

Terceirização rende multa de R$ 1,3 bi

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern), empresa do grupo Neoernergia, foi condenada a pagar multa no valor de R$ 1,3 bilhão devido a suposta terceirização indevida de atividades fins. 

Terceirização em TI dá passo adiante

Os argumentos dos representantes das empresas de TI na audiência pública sobre terceirização de mão de obra realizada no Tribunal Superior do Trabalho em Brasília nesta quarta-feira, 05, parecem ter surtido efeito sobre o presidente do TST, ministro João Oreste Dalazen.

BITS 2012
Falta mão de obra... e só chorar não resolve!

Empresas e universidades debateram como superar o problema da falta de profissionais de TI na BITS 2012.

Brasil não tem mão de obra para tablets

Analistas e empresários da indústria eletroeletrônica são unânimes em dizer que o Brasil não tem mão de obra suficiente para produção de tablets em grande escala.

João Maria de Oliveira, do grupo que estuda economia da informação no Ipea, diz que “nós (o Brasil) não temos mão de obra qualificada para dar suporte à continuidade do processo de instalação”.
 

TIC: carência de mão de obra chega a 92 mil

A carência de mão de obra em TIC no Brasil é de 92 mil profissionais em 2011, é o que revela matéria da Folha de S. Paulo dessa sexta-feira, 08.

Segundo a reportagem, que cita dados de um estudo da Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), o número de vagas na indústria não será preenchido nesse ano no país.

APL de Londrina conclui projeto de gestão

Após sete meses, 12 empresas do Arranjo Produtivo Local de TI de Londrina (APL) concluíram o Projeto Compromisso com a Excelência em Gestão, iniciativa da Assespro-PR com apoio do IBQP - Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade, e do Movimento Paraná Competitivo.

No evento de encerramento foram apresentados os resultados finais do projeto e apontado um plano de melhorias para as empresas participantes com vários pontos que podem, sendo aplicados, melhorar a competitividade.