Eduardo Neubern, diretor da Totvs Techfin.

A Totvs fechou acordos com o banco BV e a fintech Creditas através dos quais as instituições financeiras poderão oferecer empréstimos consignados para funcionários de todos os clientes de sistemas de gestão da companhia brasileira.

Os empréstimos serão feitos tendo como garantia os holerites das empresas que utilizam o software de folha de pagamento da Totvs. O número de potenciais clientes chega a 10 milhões de pessoas.

O banco BV tem como acionistas o Banco do Brasil e a Votorantim S.A e atua principalmente  no segmento de financiamento de veículos. Já a Creditas atua com crédito pessoal.

As empresas farão a análise de crédito, disponibilização desses recursos e operação financeira. A Totvs cuidará da automatização do processo.

No empréstimo consignado privado da Creditas, o colaborador que quiser contratar o benefício, pode solicitar até R$ 50 mil em crédito por meio de uma rápida conversa com um “robô” via WhatsApp ou pelo formulário no site da fintech. A BV não abriu detalhes.

“Temos tecnologia, capilaridade e escala para transformar esse mercado e, em última instância, ajudar a roda da economia a girar melhor", afirma  Eduardo Neubern, diretor da Totvs Techfin.

Segundo dados do Banco Central, o empréstimo consignado tem uma carteira total de R$ 380 bilhões e somente R$ 20 bilhões é destinado ao setor privado.

Uma pesquisa encomendada pela Creditas ao Ibope Inteligência revelou que 44% dos entrevistados gostariam de trabalhar em uma empresa que os ajudem na sua gestão financeira, e o número sobe para 54% quando se fala em endividados.

Techfin é uma das apostas de futuro da Totvs. A empresa quer oferecer produtos financeiros, como pagamento e crédito, de forma integrada aos softwares da Totvs, levando em conta a análise dos dados dos clientes no sistema.

A companhia frisa que quer ser uma intermediária usando tecnologia (uma "techfin") e não entrar ela diretamente na área de crédito por meio de plataformas tecnológicas (uma "fintech").

Neubern foi contratado em março do ano passado para liderar a área. O executivo tem 15 anos no mercado financeiro, com passagens por Cielo, Mastercard, Bradesco, American Express, SAP, entre outras.

A Totvs está fazendo mais do que falar sobre “techfin”. Em outubro, a Totvs comprou a Supplier, uma empresa especializada em intermediação de operações de crédito entre clientes e fornecedores, por R$ 455 milhões.

A Totvs fechou o ano passado com uma receita de R$ 2,28 bilhões, uma alta de 8,1% frente aos resultados de 2018.

Com o resultado, a gigante brasileira de sistemas de gestão emplacou um acelerada no seu ritmo de crescimento, que havia sido de 4,1% em 2018.