Funcionários da ThoughtWorks na Alemanha. Foto: DIvulgação.

A ThoughtWorks, consultoria de desenvolvimento de software americana com uma presença importante no Brasil, acaba de receber um aporte de US$ 720 milhões de um grupo de investidores, incluindo o GIC, um dos fundos soberanos de Cingapura, e a Siemens, gigante industrial alemã.

O aporte coloca um valor de US$ 4,6 bilhões na ThoughtWorks, uma referência em métodos ágeis de desenvolvimento de software, com 7 mil funcionários espalhados por 42 escritórios em 15 países. 

Em 2017, o controle da empresa foi adquirido pelo fundo Apax.

Logo depois do aporte, a ThoughtWorks anunciou a compra da Gemini, uma empresa de desenvolvimento de software com 170 desenvolvedores baseada na Romênia, mas com sede e forte penetração em clientes do Vale do Silício.

A equipe fruto da aquisição fornecerá suporte para os clientes da ThoughtWorks no Reino Unido e Alemanha, bem como continuará a atender os clientes da Gemini na América do Norte, França e Alemanha. 

A ThoughtWorks chegou ao Brasil em 2010, abrindo uma operação no Tecnopuc, parque tecnológico da PUC-RS em Porto Alegre. Depois foram agregados São Paulo, Recife e Belo Horizonte. 

Em 2017, a empresa tinha 515 funcionários no país. A empresa aparece com frequência em rankings de melhores para trabalhar e tem bastante apelo com jovens profissionais.

Parte do motivo está no compromisso com uma estrutura de RH alinhada com os princípios de métodos ágeis de desenvolvimento de software.

Outra parte, para usar os termos da missão da empresa publicados no site, é oriundo do compromisso com “inúmeras causas” e “mudança social positiva”, o que se reflete em uma quantidade de projetos voluntários e uma política de contratações que preza a diversidade adotada bastante antes de isso se tornar um lugar comum na área.