Jerome Pays. Foto: divulgação.

A Lyra Network, multinacional francesa de soluções de gateway para pagamentos eletrônicos, anunciou sua expansão operacional para a América Latina, depois de entrar na região pelo Brasil há cerca de dez anos.

O projeto da empresa começa com uma nova unidade no Chile, impulsionado por uma estratégia de crescimento do PayZen, sua solução de e-payment para comércio eletrônico. A companhia destinou cerca de US$ 300 mil em investimentos para esta expansão.

À frente da nova unidade está o chileno Fernando Luna Guzmán, profissional com 20 anos de experiência no segmento e passagens por empresas como DineroMail e Ipswitch.

Para Guzmán, o PayZen chega ao país latino para ajudar a resolver a problemática dos players de sub-adquirência no país, os quais precisam se adequar com as novas regulamentações previstas no marco regulatório local.

"O PayZen tem por objetivo reverter uma sensação generalizada que o Chile está muito atrasado no que diz respeito a pagamentos online, em parte pelo fato das operações serem restritas a um operador de cartões, apenas”, afirma Guzmán.

A confiança da Lyra na região reflete os bons resultados que a companhia teve no Brasil. Conforme destaca Jerome Pays, diretor de divisão PayZen da Lyra, em poucos meses, a empresa já fechou cerca de cinco contratos com grandes clientes, tanto no Chile, como também em outros países como Argentina e Peru.

"No final de 2016, esperamos que nossos negócios na América Latina corresponda a cerca de 15% da receita global da Lyra. Em cinco anos, essa marca pode chegar a 50%", avalia o diretor, que espera que a região tenha um ritmo de crescimento semelhante ao que a marca teve no Brasil, com cerca de 50% anuais.

Em terras canarinhas, a Lyra Network atende mais de 600 clientes, possibilitando a conexão remota de mais de 500 mil terminais eletrônicos, que processam um volume superior a 200 milhões de transações mensalmente.

Conforme aponta Pays, a companhia tem contratos com grandes empresas do segmento de POS físico como Banrisul (que opera sob a marca Vero), Hipercard e Rede. Agora, o desafio é aumentar a participação do PayZen, tanto no Brasil quanto nos países vizinhos.

"Estamos em conversas constantes com bancos e players financeiros para o desenvolvimento de soluçoes de integração física e também para o PayZen. Agora as redes de adquirência de paises como Peru, México e Colombia também estão nesse grupo", completa o executivo.

Na França, a Lyra é líder no mercado de gateways para pagamentos eletrônicos, com cerca de 70% do market share local. Globalmente, a empresa tem cerca de € 50 milhões em faturamento anual, um valor baixo em comparação com os valores movimentados - só no e-commerce, são movimentados cerca de US$ 2,3 trilhões anuais, segundo a McKinsey.

"Nosso foco está nas operações B2B dentro do processo de pagamento, o que corresponde a um grande volume de transações, mas não participamos diretamente da operação financeira", explica Costes.