A queda do número de PCs vendidos foi de 37% no 3T15. Foto: ArtFamily/Shutterstock.

A IDC divulgou os dados do estudo IDC Brazil PCs Tracker Q3, que aponta resultados negativos para o mercado de PCs. No terceiro trimestre de 2015, 1,6 milhão de computadores foram comercializados, 37% a menos do no mesmo período de 2014. Esse é o pior desempenho trimestral em volume de vendas da última década. 

Do total de equipamentos vendidos, 993 mil foram notebooks e 607 mil desktops.

A receita conquistada pelo mercado neste semestre caiu 7% frente ao mesmo período de 2014. O faturamento caiu numa proporção menor do que o número de vendas pois houve uma alta de 49% no ticket médio, que ficou em R$ 2.341.

“O resultado de vendas está de acordo com as nossas projeções e reflete a situação econômica e política do país”, afirma Pedro Hagge, analista de pesquisas da IDC Brasil. 

Segundo ele, o mercado de PCs está registrando quedas seguidas desde 2012. 

“Até aquele ano, o PC era praticamente o único equipamento que permitia acesso à internet. Hoje temos outros dispositivos e a vida útil das máquinas praticamente dobrou. Há muitos computadores com melhores processadores, armazenamento em nuvem, enfim, são várias as melhorias implementadas nas especificações técnicas dessa categoria”, completa Hagge. 

Sobre a Black Friday, o analista diz que houve receio de vários fabricantes em relação à data. 

“A adesão não foi tão grande quanto nos últimos anos. Alguns deles sequer promoveram ações junto aos varejistas. As vendas foram positivas, porém, não ajudaram a recuperar o desempenho”.

Até o final do ano, a IDC Brasil projeta queda de 37% nas vendas (com 6,5 milhões de PCs vendidos), alta de 39% no ticket médio e queda de aproximadamente 12% na receita. 

Em 2016, o mercado será diretamente impactado por conta do fim da Lei do Bem. 

“Na comparação com os outros dispositivos, certamente o PC será o mais afetado pelo fim da medida provisória”, prevê Hagge.