A equipe da NDD recebeu o gerente de TI do Grupo Abril, Marcos D’Addio de Moura. Foto: Divulgação.

O Grupo Abril vai trocar sua solução atual de emissão de documentos fiscais pelo sistema da catarinense NDDigital

A empresa catarinense substituirá o sistema atual (não revelado), e com isso irá compor o portfólio de soluções e fornecedores do Grupo Abril.

O grupo tem o objetivo de melhorar o desempenho e o monitoramento sobre todos os fluxos que envolvem os processos de emissão dos documentos fiscais. Mensalmente, o volume de NF-e de entrada, NF-e de saída e CT-e de entrada chega a 540 mil documentos.

A opção do Grupo Abril é pelo modelo de negócios de software como serviço, unindo a emissão, o monitoramento e a gestão de todos os itens eletrônicos.

Segundo o executivo comercial da NDD, Bruno Denadai, uma das preocupações da Abril era o tempo de emissão das notas no modelo SaaS. A adequação foi comprovada através da realização de uma prova de conceito. 

Com sede em Lages, no centro-oeste de Santa Catarina, a NDDigital divulgou a meta de faturar R$ 54 milhões em 2015. No entanto, o resultado anual não foi divulgado.

Em outro investimento recente em tecnologia, a Abril firmou um acordo para implementar uma série de tecnologias da SAP com consultoria da Tivit.

O projeto inclui o sistema de gestão da companhia, na sua vertical de indústria da área de mídia e entretenimento, além da plataforma de e-commerce Hybris e do software de gestão de relacionamento com clientes SAP CRM.

O projeto abrange as quase 30 publicações da editora, com suporte aos mais de 4,5  milhões de assinantes e visão geral do cadastro de mais de 12 milhões de clientes.

O Grupo Abril teve uma receita de R$ 2,8 bilhões em 2014, uma alta de 4,5% frente aos resultados do ano anterior.

Assim como outros grupos de comunicação, a Abril vem se esforçando para adotar um modelo de negócios com maior ênfase no digital. 

Neste ano, foi lançada a GoBox, uma plataforma de clube de assinaturas de produtos, que foi criada com investimento de R$ 20 milhões. A expectativa é que a nova unidade de negócios alcance cerca de 200 mil assinaturas e fature R$ 250 milhões em três anos.