Precinho caro, hein? Foto: flickr.com/photos/nerowx.

Tamanho da fonte: -A+A

A Sony Computer Entertainment (SCE), divisão da multinacional responsável pela marca Playstation anunciou nesta quinta-feira, 17, o preço nacional para o novo videogame, que chega às lojas em 29 de novembro: ele custará a "bagatela" de R$ 3.999.

A fabricante não deu explicações sobre o alto preço do novo videogame, cerca de quatro vezes o que é cobrado pelo Playstation 3, que custa R$ 1.099 no país. Diferentemente do PS3, que é montado no Brasil, o novo console será importado, fator que já aumenta o preço, devido às taxas alfandegárias.

Mesmo assim a notícia pegou analistas e fãs de surpresa. Ninguém esperava um valor tão alto pelo aparelho, que no mercado americano custará US$ 399 (cerca de R$ 850). É um aumento de 470%, quase oito vezes o percentual da taxa de importação de eletrônicos, que é de 60%.

O "precinho camarada" também contraria a declaração do presidente da SCE, Jack Tretton, que em agosto afirmou que o plano era vender o PS4 no Brasil por uma quantia equivalente ao americano, algo na faixa dos R$ 900.

O valor é bem alto até mesmo em comparação com o preço do Xbox One nacional, que já está em pré-venda por R$ 2.199, o preço mais caro do console em todo o mundo. Outra coisa: lá fora o console da Microsoft será mais caro que o PS4, chegando às lojas por US$ 499 (R$ 1.080).

Para os jogos, ao menos, a Sony não aplicou a mesma lógica, e divulgou que os títulos de lançamento do PS4 custarão R$ 179, R$ 20 mais barato do que havia sido antecipado por engano pela loja online brasileira da Sony.

Agora resta saber como a Sony vai se sair com este preço para o seu novo videogame. Do lado da Microsoft, diversas lojas nacionais já esgotaram seus lotes de pré-venda do Xbox One, conforme relatou a fabricante.

Já no mercado norte-americano, a briga está acirrada, com ambos os consoles esgotados na pré-venda de diversos varejistas. Os dois videogames só chegam às prateleiras em novembro - o PS4 no dia 15 e o Xbox One no dia 22.

Segundo analistas, a chance do PS4 no Brasil pode estar no mercado informal, com aparelhos trazidos por turistas dos EUA e a famosa "importação" pelo Paraguai.

Mesmo assim, com um preço oficial alto como este, não seria errado supor que até as edições "frias" do console serão salgadas para o consumidor.

Para contornar este problema, nas redes sociais, diversos usuários já estão propondo soluções, como ir para os EUA ou a Foz do Iguaçu para garantir o seu console e o dos amigos.

Em uma pesquisa rápida em um site de viagens, a reportagem do Baguete encontrou uma passagem de ida e volta de Guarulhos até Los Angeles por aproximadamente 2,6 mil. Ou seja, dá pra pagar a viagem e ainda sobra o troco para comprar o PS4. Se comprar dois, ainda dá para fazer um lucro, mesmo pagando as taxas de cota de importação de US$ 500.

A novela propriamente dita nem começou ainda e o drama já está grande. Aguardem cenas do próximo capítulo.