Mauro Capellão.

Mauro Capellão, ex-gerente de vendas de canal da Riverbed, acaba de assumir a diretoria de canais da Symantec no Brasil.

O executivo ocupa o cargo de Alejandro Raposo, que, com a saída de Sérgio Chaia da empresa em março, foi promovido a VP para América Latina e Caribe.

Raposo acumulava as posições de country manager, aparentemente ainda em aberto, e diretor de canais.

A contratação de Capellão, que tem passagem pelos players de redes Enterasys Networks e 3COM, além do distribuidor Cernet e Westcon, mostra que a Symantec segue em sua estratégia de buscar executivos de fora do mercado de segurança.

“Entro para a Symantec convicto de que farei parte de uma equipe de liderança capaz de alavancar e entregar ativos para seus parceiros e clientes”, afirma Capellão.

Capellão é um executivo respeitado no mercado e terá a missão de melhorar a relação da Symantec com seus canais (que não é das melhores, segundo fontes ouvidas pelo Baguete) e ajudar a tranquilizar o mercado sobre os rumos da empresa.

Contratado em março de 2014 vindo da Nextel, onde era CEO, Sérgio Chaia promoveu uma mudança radical de rumos.

O profissional foi o primeiro executivo a liderar a Symantec no país sem ter vindo das próprias fileiras da organização, substituindo Wagner Tadeu, que já estava há 17 anos na Symantec (hoje, Tadeu lidera a Pure Storage no país).

Além de Tadeu, a Symantec demitiu basicamente todos seus executivos no alto escalão no país, muitos deles profissionais com mais de uma década de casa.

No lugar, a Symantec mexeu a fundo no time de vendas como um todo, renovando 60% da equipe com 30 profissionais oriundos de companhias como IBM, EMC, Dell e Telefônica.

O discurso de Chaia, exposto em uma entrevista para o Baguete, era “mostrar que a Symantec é mais que uma provedora de produtos de segurança”.

Para isso, a vinda de profissionais de fora do mercado de segurança, vindos de empresas de tecnologia maiores e mais diversificadas que a Symantec, onde essa abordagem já está consolidada.

Entre os grandes clientes, a estratégia é dar a conhecer mais do portfólio da Symantec em áreas como disponibilidade de informações e prevenção de perda de dados. 

Neste último segmento, por exemplo, o Gartner projeta crescimento de 18,9%, um pouco mais que o dobro da média do mercado de segurança

Segundo fontes ouvidas pelo Baguete, no entanto, esse posicionamento “consultivo” não encontrou muito eco no relacionamento de Chaia com os clientes.

O novo presidente da Symantec no Brasil, por exemplo, teria deixado de lado missões protocolares como visitar alguns dos maiores clientes no país ou mesmo mandar um e-mail de apresentação, gestos triviais, mas que contam pontos no mundo corporativo.