Marcelo Adsuara. Foto: divulgação.

A Red&White, empresa especializada em implantações de ERP e principal parceira SAP no Centro-Oeste, apresentou o R&W Gold HCM - Payroll, software de integração de informações trabalhistas solicitadas pelo sistema eSocial.

Segundo a desenvolvedora, a solução faz conexão com as autoridades legais, como Receita Federal, Previdência Social, Caixa Econômica Federal e Ministério do Trabalho, informando as movimentações trabalhistas da companhia.

A Red&White investiu mais de R$ 500 mil na contratação de profissionais e treinamentos para o desenvolvimento do software, e espera chamar a atenção das empresas que desejam se adequar ao sistema do governo que entra em vigor a partir deste ano.

O eSocial é um sistema de escrituração fiscal e digital das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas que objetiva viabilizar a garantia de direitos dos trabalhadores, simplificar o cumprimento das obrigações trabalhistas junto ao estado.

Além de atender à nova legislação, a desenvolvedora afirma que o produto reduz em cerca de 30% o tempo de implementação e diminui em 40% o número de horas de consultoria, reduzindo significativamente os custos em relação a uma solução convencional.

“Um projeto que normalmente consumiria 23 semanas, com o ERP R&W Gold HCM – Payroll conseguimos reduzir para apenas 16 semanas. A solução caracteriza-se principalmente pela rapidez e agilidade em sua implantação.”, afirma Mariano Adsuara, diretor superintendente da Red&White.

O executivo também ressalta que o novo sistema permite menor tempo de alocação de recursos internos dedicados ao projeto, como os usuários chave, infraestrutura, trazendo um retorno do investimento mais rápido.

Fundada em Goiânia em 2007, a Red&White está presente também em São Paulo e conta com um total de 200 profissionais. A empresa pertence ao Grupo José Alves, um dos maiores grupos empresariais do Centro-Oeste, e atua em áreas como ERP, BI e Desenvolvimento de Sistemas.

Com a vigência do eSocial, iniciada em janeiro, diversas empresas estão apresentando suas soluções para adequar e conquistar clientes para a nova plataforma. Outra empresa que recentemente lançou seu sistema foi a Benner.

O desafio, no entanto, é conquistar um mercado que ainda não está muito animado com a transição para o novo sistema.

Segundo levantamento da Wolters Kluwer Prosoft com 1.310 escritórios de contabilidade e 106 departamentos contábeis-financeiros, 45% admitiram não ter planos de promover investimentos adicionais.

Outro grande grupo (46%) pretende desembolsar até R$ 10 mil e só 7% preveem alocar entre R$ 10 mil e R$ 50 mil para se adaptar.