A Flextronics, que produz aparelhos das duas marcas, anunciou férias coletivas de 10 dias. Foto: Pexels.

A Motorola e a Samsung interromperam a produção de celulares no Brasil por conta da falta de componentes vindos da China, mais um efeito do coronavírus, surto que tem paralisado diversos serviços no país asiático.

De acordo com o site Convergência Digital, a Flextronics, que produz aparelhos das duas marcas, anunciou férias coletivas de 10 dias a partir desta segunda-feira, 17.

A medida afeta cerca de 2,2 mil funcionários, que representam 80% da força de trabalho da empresa.

O mesmo problema, já que praticamente todos os componentes da empresa vêm da China, teria sido o motivo da Samsung ter negociado a suspensão dos trabalhos durante três dias da semana passada.

Embora a suspensão da produção até aqui seja por prazo determinado, o site aponta que existe a preocupação com novas paralisações, pois ainda não há sinal de controle do vírus e, consequentemente, da normalização das importações.

A Foxconn, por exemplo, uma empresa chinesa que fabrica produtos da Apple, já paralisou quase toda sua produção na China em razão do surto de coronavírus.

De acordo com o site G1, as exportações chinesas de bens intermediários no segmento eletroeletrônico respondem por mais de 10% da produção global desses produtos.

Essa retração da atividade industrial no país, seja na área de eletrônicos ou outras, como a automobilística, pode causar um rompimento nas cadeias de fornecimento em outras regiões, como o Brasil.

Para se ter ideia, a Capital Economics estima que o coronavírus deverá custar mais de US$ 280 bilhões somente nos três primeiros meses deste ano para a economia mundial.

Este prejuízo daria fim a uma série de 43 trimestres, ou 10 anos, de expansão global, fazendo o PIB global trimestral não crescer pela primeira vez desde 2009.