CONTAS

TI beneficiada pela desoneração

17/02/2014 14:27

Economistas fizeram as contas para ver quem ganhou. Foto: .flickr.com/photos/e2/2334083586

Tamanho da fonte: -A+A

O setor de TI ficou entre os mais beneficiados pela desoneração da folha de pagamentos, anunciada em 2012.

Segundo um levantamento de economistas do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV), publicado pelo Valor, cada funcionário de TI incluído no programa custa R$ 201 em renúncia fiscal por parte do governo.

A cifra é maior que a média de R$ 118 mensais, mas é menor do que os benefícios obtidos por outros setores como transporte aéreo, no qual cada empregado significa R$ 764 de renúncia mensal, ou produtos farmoquímicos e farmacêuticos (R$ 432), celulose e papel (R$ 233) e indústria de veículos automotores (R$ 207).

A nova regra permite que as empresas troquem a contribuição previdenciária de 20% sobre folha por um percentual fixo de 1% ou 2% sobre o faturamento.

A avaliação geral dos economistas ouvidos pelo Valor é que a desoneração teve como principais beneficiários segmentos mais organizados, mais intensivos em capital ou com mão de obra mais qualificada e menos vulneráveis às importações.

Na avaliação dos especialistas, os resultados mostram que o programa não cumpriu seus propósitos. 

Válida até o final de 2014, a iniciativa tinha por meta elevar a competitividade de segmentos intensivos em mão de obra e mais expostos à concorrência do mercado internacional.

No cálculo dos economistas, no entanto, esses setores tiveram os menores benefícios: na indústria de produtos têxteis, a renúncia é de R$ 125 mensais por trabalhador, na de vestuário, R$ 136, e na de calçados, R$ 146.

Veja também

Seprorgs: desoneração beneficia multis

O projeto de lei de desoneração da folha de pagamentos do setor de TI vai criar um desequilíbrio no setor, favorecendo centros de desenvolvimento de multinacionais em detrimento de companhias locais de software.

Foi o argumento que o presidente do Seprorgs, Edgar Serrano, levou a senadores em Brasília nesta quarta-feira, 09.

Desoneração sai, mas não é unanimidade

O Senado aprovou nesta quinta-feira, 24, as medidas provisórias que colocam em prática a desoneração da folha de pagamento dos setores de confecções, couro, calçados, TIC e call center previstas pelo Plano Brasil Maior.
 

Seprosp na Justiça contra a desoneração

O Seprosp, sindicato patronal de TI de São Paulo, vai entrar na Justiça contra a desoneração da folha de pagamentos da área de TI.
 
Segundo informações do Valor Econômico desta segunda-feira, 27, o Seprosp vai pedir que empresas que se considerem prejudicadas possam voltar ao modelo de tributação antigo.
 

LEVE NO BOLSO
Senior poupa R$ 200 mil com desoneração

A polêmica medida de desoneração do setor de TI, que tem dividido entidades de classe, é uma boa para a Senior. Segundo o balanço da empresa, a medida trará uma economia de R$ 200 mil mensais.

Dentro do Plano Brasil Maior, o software é beneficiado com uma redução da alíquota, que sai dos 20% do INSS para 2,5% do faturamento total.

25 NOVOS SETORES
Suporte entra na desoneração da folha

Ao lado de transporte rodoviário coletivo, segmento é o único dos 25 novos a não ter queda para 1%.

IDEIAS
Suíça quer limitar salário de executivos

Medida limita o pagamento do maior executivo da empresa a 12x o menor salário.

DÍGITOS
SAP de olho no governo

Objetivo é saltar de participações na casa de um dígito do faturamento para dois dígitos, entrega executivo.

ECONOMIA EM BAIXA
Argentina restringe compras online

Pela nova regra, cada cidadão poderá comprar ao ano até US$ 25 livres de impostos.

AMÉRICA LATINA
Stefanini: solução para folha de pagamento

Tecnologia apoia empresas de diversos tamanhos sobre o salário nacional, benefícios e leis trabalhistas.