Pesquisa não investigou utilização do QR Code em tatuagens. Foto: flickr.com/photos/scott_blake

Você costuma utilizar o QR Code? O relatório Quick Response, divulgado pela Pitney Bowes, aponta que 15% dos consumidores ativam a tecnologia.

A pesquisa sobre a utilização dos códigos de resposta rápida foi realizada na América do Norte e na Europa com um total de 5 mil pessoas. Os dados não revelam se a leitura dos código de barras bidimensional tem aumentado ou não.

O percentual de uso aumenta na faixa etária média (entre 18 e 34), com 27% de interação, mas a empresa não apresentou os dados das outras idades – enquanto jovens tendem a se sentirem atraídos pelo código, os mais velhos devem ser os mais desinteressados.

Os resultados mostram que, em média, a maioria dos códigos QR foram capturados de impressos. Revistas tem o índice mais alto, com 15%, o que pode lançar dúvidas sobre o futuro da tecnologia, já que essa mídia está em baixa.

Depois das revistas, foram apontadas as embalagens (13%), cartazes (10%), sites (8%), e-mail (5%) e TV (4%).

Como forma de convencer da importância da tecnologia, o relatório aponta formas de aproveitamento da tecnologia  No caso de faturas e extratos, a adição de códigos QR pode ajudar as instituições bancárias na segurança do acesso à serviços, diz a Pitney Bowes.

A empresa também indica que o QR Code pode ajudar a integrar campanhas de marketing digital e físico, mas que sempre devem ser seguidos de uma recompensa para os consumidores (cupons especiais, mais informações ou pontuação em programas de fidelidade).