O Porto Maravilha é uma iniciativa para resgatar uma área de 5 milhões de metros quadrados. Foto: Divulgação.

A Embratel deve colocar em operação um novo data center de classificação Tier 3 em março de 2015. A estrutura está em construção na área portuária do Rio de Janeiro, o chamado Porto Maravilha, e deve ampliar capacidade de atendimento da Embratel ao mercado corporativo.

A empresa também inuaugurou, em 2013, um data center em São Paulo, no bairro Alto de Pinheiros, que recebeu R$ 100 milhões em investimento.

Ney Acyr Rodrigues, diretor executivo de Negócios de Data Center da Embratel, estima que a empresa tenha 4% de share do mercado brasileiro de data center, relatou o MobileTime.

O executivo acredita que ter um backbone nacional influenciará na decisão da escolha dos clientes e, em consequência, na ampliação da sua fatia de mercado . 

''Essa é uma boa solução para os clientes, uma vez que eles poderão contratar a infraestrutura junto com o serviço de conectividade com baixa latência, pois a rede é da própria Embratel'', enfatiza Rodrigues.

Para ampliar sua presença no mercado de serviços de TI e mobilidade corporativa, a empresa divulgou o novo portfólio dos serviços de cloud, data center, segurança e mobilidade corporativa, como MS Office 365 na nuvem; Presença Web, solução para comércio virtual e marketing digital, incluindo meios de pagamentos; back up online; infraestrutura como serviço, entre outros.

De acordo com o executivo, o data center do Alto de Pinheiros já está com 70% da capacidade tomada e em breve a Embratel demandará nova estrutura, afirmou o IPNews.

O Porto Maravilha é uma iniciativa para resgatar uma área de 5 milhões de metros quadrados na região portuária do Rio. O projeto é uma operação de R$ 8 bilhões em 15 anos.

A ideia do Porto Maravilha é recuper a infraestrutura urbana, o transporte, o meio ambiente, os patrimônios histórico e cultural, além de melhorar as condições habitacionais da região, que encontrava-se em estado de grande degradação.