Resolvido o problema, sem precisar ir no RH. Foto: Divulgação.

A RD Station, startup de automação de marketing catarinense que foi recentemente comprada pela Totvs, usa tecnologia de assinatura digital da Unico para agilizar processos de RH para os seus 650 colaboradores.

A tecnologia começou a ser usada para fazer a coleta de avisos e recibos de férias, e, com a chegada do coronavírus, foi ampliada para todos os processos da área de recursos humanos.

“Do lado dos colaboradores, a experiência de eliminar a burocracia foi transformadora, assim como a otimização dos processos do departamento, com uma economia de tempo de cerca de 85 horas mensais”, resume Steffani Scalon, analista de administração de pessoal da RD.

Scalon foi quem tomou a iniciativa de modificar o processo, talvez um pouco cansada de coleta de avisos e recibos de férias de todos os funcionários, uma tarefa mais complicada ainda nos períodos com maior fluxo de férias. 

“Levei o desafio de transformar as assinaturas físicas em digitais para um encontro da RD no segundo semestre de 2019 em que podemos apresentar iniciativas de melhoria”, explica Scalon.

A assinatura digital da Unico inclui uma  autenticação biométrica por meio de foto, tecnologia pela qual a empresa é conhecida, com projetos de reconhecimento facial implementados nos maiores bancos, varejistas, fintechs, e-commerces e indústrias do Brasil. 

Essa nota curta reúne duas das empresas de tecnologia mais badaladas do Brasil no momento. 

Em março, a Totvs pagou R$ 1,86 bilhão por 92% da RD Station, depois de uma disputa com a Locaweb que havia iniciado em janeiro.

A Totvs botou a mão na carteira. Em janeiro, o Estado de São Paulo falava que a venda estava sendo negociada em torno de R$ 1 bilhão.

O negócio fechado pela Totvs acabou avaliando a RD em R$ 2 bilhões, mais do que 10 vezes a receita líquida estimada pela startup para 2021. Na última rodada de investimentos, em 2019, a avaliação da RD ficava em R$ 750 milhões.

Já a Unico é a líder no país em tecnologia de biometria facial, ou, para usar o jargão, em “IDtech”.

Em setembro de 2020, quando ainda se chamava Acesso Digital, a empresa levantou um aporte de R$ 580 milhões em rodada série B liderada pelo Softbank e pela General Atlantic.