CARREIRA

Primatti será o novo CEO da Benner?

16/03/2018 11:59

O fundador da Benner, Severino Benner, deve assumir o conselho de administração nos próximos 12 meses.

Bruno Primati.

Tamanho da fonte: -A+A

Bruno Primatti, ex-vice presidente executivo da Bematech, acaba de ser contratado pela Benner para assumir o cargo de vice presidente na empresa.

O atual CEO e fundador da Benner, Severino Benner, deve deixar o comando da companhia para assumir o conselho de administração nos próximos 12 meses, de acordo com o planejamento da companhia.

Em nota, a Benner informa que a estratégia da Benner passa pela “preparação de um sucessor”. Primatti será o único vice presidente da empresa. 

Mesmo assim, a Benner não chega a dizer explicitamente na nota divulgada à imprensa que Primatti será o novo CEO.

Perguntada diretamente sobre o tema pela reportagem do Baguete, a Benner não confirma nem nega a possibilidade.

Primatti é um executivo de primeira linha. Ele estava na Bematech desde 2012, sendo segundo o segundo no comando da empresa, que foi comprada pela Totvs em 2015 em um negócio de R$ 550 milhões em dinheiro e ações. 

Ao longo dos 30 anos de carreira profissional teve passagem por consultorias e empresas como Unibanco, Grupo Notredame Intermédica e Solvay, tendo ocupado posições como diretor-geral, diretor comercial e CIO. 

”Hoje a Benner é uma das cinco maiores empresas de software nacionais. Tenho a certeza de que temos todas as condições para consolidar a empresa como uma das duas maiores do setor no país”, conta Primati.

Primati não chega a mencionar seus concorrentes nessa disputa, mas não é difícil de ficar sabendo. A líder absoluta de mercado é hoje a Totvs, com faturamento de R$ 2,2 bilhões no ano passado. 

A Benner está hoje na faixa dos R$ 250 milhões (a companhia não divulgou resultados exatos, só a meta de dobrar até 2020 para R$ 500 milhões), um pouco abaixo da Sênior, outra empresa catarinense, que teve uma receita de R$ 283,4 milhões no ano passado.

Um degrau abaixo estariam empresas como a Mega e a Sankhya, cujos resultados foram R$ 75 milhões em 2016 e R$ 80 milhões em 2015, respectivamente, e não tem mais aberto números, um sinal de que o ritmo de crescimento não é mais o mesmo de antes.

A Benner já fez uma grande reorganização em 2016, quando a companhia se dividiu em duas vice-presidências, uma focada no mercado de saúde, no qual a Benner tem forte participação, e outra focada em soluções de logística, turismo, RH e jurídico.

Naquela ocasião, Antônio Roberto Nogueira, Celso Lara e Walcir Augusto Wehrle alienaram suas participações para a holding e desligaram-se da sociedade.

De origem catarinense, hoje a companhia tem matriz em São Paulo, além de unidades em Blumenau, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Maringá e Curitiba. Ao todo, são 1,2 mil colaboradores.

Veja também

PESQUISA
Gartner indica 11 ERPs brasileiros

A lista tem empresas como Benner, Senior e Sankhya, Siagri, Aoki e ContaAzul.

JURÍDICO
IRB controla processos com Benner

A implantação do sistema levou três meses e envolveu cerca de 50 pessoas.

TENDÊNCIA
Mega coloca ERP na nuvem

A empresa investiu R$ 10 milhões na nova versão do seu ERP.

CONTRATAÇÃO
Ex-Mega é gerente de canais da Benner

Nos últimos dois anos, Thiago Samsack atuou na mesma função na Mega.

QUALIDADE
A UBERização do mercado SAP

Com cada vez mais consultores SAP, assim como aconteceu com motoristas da Uber, cada vez mais projetos foram mal feitos.

INAUGURAÇÃO
Senior tem novo escritório no RS

O novo endereço da Senior é no Iguatemi Business.

E-COMMERCE
Linx compra ShopBack

É a terceira compra focada em e-commerce da Linx nos últimos tempos.

COMERCIAL
Linx tem novo diretor para e-commerce

Eduardo Ide acaba de assumir a diretoria comercial de e-commerce da Linx.