Carro do Baidu pelas ruas de Pequim. Foto: divulgação.

Quando se fala de carros inteligentes sem motoristas, nomes como Google e Uber podem vir primeiro à cabeça. De acordo com o resultado de testes resultados na semana passada, a chinesa Baidu também pode entrar nessa lista.

A multinacional asiática de tecnologia realizou com sucesso seu teste mais longo com um carro autônomo circulando pelas ruas da capital chinesa.

O automóvel, um veículo BMW equipado com sistema inteligente desenvolvido pelo Baidu teve sucesso ao fazer curvas, ultrapassar outros veículos, contornar rotatórias, parar e dar a partida em semáforos, além desacelerar por causa do tráfego e mudar de faixas. O pico de velocidade foi de 100 quilômetros por hora.

O deslocamento total foi de 30 quilômetros e começou na sede da companhia, em Pequim, que fica na zona oeste da cidade, e envolveu uma viagem até o Ninho de Pássaro, estádio localizado no parque olímpico da cidade, periferia norte da capital chinesa.

O carro autônomo está em desenvolvimento desde 2013 e, por meio de tecnologias de reconhecimento de objetos, pode detectar obstáculos ao seu redor, reconhecer faixas de rolamento e definir com precisão distância e velocidade.

"Direção totalmente autônoma sob condições reais, em que o sistema precisa tomar decisões não previstas anteriormente, é um desafio universal que foi aumentado pelas condições de tráfego em Pequim, cidade reconhecida pelo trânsito pesado e grande emaranhado de ruas e avenidas”, afirma Wang Jing, diretor da unidade de Direção Autônoma do Baidu.

O projeto de direção autônoma, explica Jing, deve incluir ônibus autônomos sobre a tecnologia Baidu AutoBrain, que desenvolve mapas para condução sem motorista, posicionamento, detecção, e tomadas de decisão inteligentes.

A ideia é que, com a repetição dos testes e a comercialização do sistema, novas rotas sejam criadas, permitindo que toda a China seja mapeada dentro de 5 a 10 anos.

Além da movimentação no ocidente, com marcas como Apple, Google, Virgin e Uber ensaiando suas incursões com o futuro lançamento de carros inteligentes, a concorrência também se acirra na Ásia.

O poderoso Alibaba, firmou no primeiro semestre uma parceria com a estatal chinesa SAIC Motor Corp, investindo cerca de US$ 160 milhões para a produção de carros conectados, que devem chegar ao mercado no próximo ano.

Em março, as chinesas Tencent, criadora do WeChat, e a Hon Hai, controladora da gigante de manufatura Foxconn, entraram também no jogo, em uma parceria para explorar oportunidades em carros elétricos e conectados. A aliança alinharia a força da Tencent na web com as capacidades de fabricação da Hon Hai.