Israel é alvo de foguetes disparados pelo Hamas. Foto: Flash90/Israel Ministry of Foreign Affairs.

Tamanho da fonte: -A+A

A Oracle acaba de inaugurar um novo data center em Israel, localizado a 50 metros de capacidade e capaz de resistir a um impacto direto de um míssil, ou a um atentado com carro bomba.

Pelo menos, é o que promete a Oracle, que inaugurou o novo centro de dados em um parque tecnológico de Jerusalém nesta semana.

A profundidade da estrutura é equivalente a um prédio de nove andares. O local conta com seus próprios geradores de energia e o cliente alvo são organizações que queiram manter seus dados em Israel.

Como muitas outras gigantes de tecnologia, a Oracle mantém centros de desenvolvimento em Israel, mas até agora só oferecia nuvem a partir dos Emirados Árabes, onde a AWS também tem planos de abrir.

Agora é ver se o novo data center convence os clientes locais. O governo de Israel assinou em maio um contrato com Google e AWS no valor de US$ 1 bilhão.

Segundo dados da Canalys, a Oracle tem 2,3% de penetração da região EMEA, que inclui a Europa e o Oriente Médio, ficando em sexto lugar atrás da AWS, Microsoft, Google, OVH (um player francês focado no mercado europeu) e da IBM.

A necessidade de tanta proteção contra mísseis é relativa. Por um lado, Israel sofre ataques do tipo com alguma periodicidade. Em maio, o Hamas, grupo que controla a Faixa de Gaza, disparou um total de 4,360 foguetes contra Israel.

Por outro lado, a grande maioria dos mísseis do Hamas são modelos rudimentares, com baixa carga explosiva, feitos para serem disparados de maneira aleatória em Israel, sem definir alvos.

Segundo informações do exército israelense, 20% deles falham, caindo na própria Faixa de Gaza, e, entre aqueles que efetivamente penetram o espaço aéreo israelense, 90% são destruídos no ar pelo sistema de defesa de Israel.

Nos últimos anos, o alcance e a carga explosiva dos mísseis vem aumentando, mas, mesmo que eventualmente o Hamas adquira tecnologia que permita escolher alvos, parece difícil de acreditar que o grupo decida atacar justamente um data center.