Docusign é uma estrela em alta. Foto: Docusign.

A Dell fechou um acordo com a DocuSign para vender as soluções de gerenciamento de transações digitais (DTM, na sigla em inglês) da empresa.

Desde o início de outubro os clientes da Dell em todo o mundo podem integrar a DocuSign como uma solução independente dentro de uma negociação existente ou nova. 

No início de 2015 da Dell Ventures, fundo de investimentos da Dell, fez parte de um aporte na  DocuSign, auxiliando na expansão mundial da DocuSign Global Trust Network, hoje usada por 100 mil empresas em 188 países.

Só neste ano, a empresa já captou US$ 443 milhões de investidores nos Estados Unidos, sendo apontada pela imprensa especializada como a próxima candidata a abrir capital na bolsa.

O acordo deve repercutir no Brasil, onde a DocuSign vê um mercado potencial importante.

No começo do ano passado, a empresa desembolsou uma quantia não revelada para comprar a Comprova.com, atuante no mesmo ramo de certificação digital.

O negócio abriu uma porta para a Docusign entre grandes clientes como Santander, JP Morgan, Liberty, Marítima Seguros e Petrobras, que já eram atendidos pelos 11 escritórios da Comprova.com no Brasil.

Caso a Dell consiga fazer seus canais se interessarem pela nova oferta, o acordo pode abrir as portas de um mercado mais capilar para a Docusign.

A Dell duplicou suas vendas via canal no Brasil nos últimos cinco anos, com o faturamento via parceiros representando algo na faixa dos 40% no país.

O programa de canais Partner Direct envolve 250 parceiros brasileiros.

Um termometro do mercado potencial é o uso de certificados digitais. Entre janeiro e maio de 2015, 1,2 milhão de certificados digitais foram emitidos no Brasil.

O número é 27% maior se comparado ao mesmo período de 2014 e 34% superior em relação ao acumulado dos meses em 2013. Os dados são da Fenacon Certificação Digital.