O Grupo BMG lançou uma nova empresa batizada de BMG UpTech. Foto: Divulgação.

O Grupo BMG lançou uma nova empresa batizada de BMG UpTech, que tem o objetivo de atuar como elo entre startups e o mercado. 

“Nós vamos colocar o know how e a tradição do grupo, que tem mais de 85 anos de atuação, a favor dessa conexão, identificando startups cujos negócios sejam viáveis, investindo nelas e colocando em contato com possíveis compradores destes produtos e serviços”, afirma o vice-presidente do BMG, Eduardo Dominicale.

Para isso, o Grupo BMG reservou um andar de sua sede em Belo Horizonte. Neste espaço, as startups selecionadas poderão trabalhar em seus projetos enquanto uma equipe planeja o “go to market” - fase de identificação de empresas interessadas e apresentação do projeto a elas. 

“Não chegamos como financiadores, seremos realmente parceiros desses empreendedores, ou seja, corporate ventures, investindo em seus projetos”, diz o diretor-presidente da BMG UpTech, Rodolfo Santos.

Antes de ingressar no BMG, no final do ano passado, Santos atuou como gerente comercial na Construtora Andrade Gutierrez.

Um diferencial da BMG UpTech, de acordo com a conselheira Daniela Guimarães, é que ela chega para investir em startups de diferentes ramos de atuação e não apenas naquelas que desenvolvem produtos e serviços voltados para os mercados em que as empresas do Grupo BMG atua.

A BMG UpTech chega ao mercado com parceria com o programa Fiemg Lab, uma iniciativa da Federação das Indústrias de Minas Gerais. O viabiliza a aceleração de novos negócios considerados inovadores. 

O Grupo BMG soma mais de 85 anos de atuação em diversos setores da economia. Além do Banco BMG, conta com empresas agropecuárias, de câmaras frigoríficas portuárias, de geração de energia limpa, infraestrutra para linhas de transmissão de energia, negócios imobiliários e tratamento de resíduos urbanos, industriais e hospitalares.

Em 2015, o lucro líquido do Banco BMG, empresa de maior visibilidade do grupo, ficou em R$ 189 milhões, uma queda de 39% em relação ao valor registrado no ano anterior. 

Neste ano, o resultado do grupo seguiu em queda. O banco BMG registrou lucro líquido de R$ 6 milhões no primeiro trimestre de 2016, uma diminuição de 84,7% na comparação com o mesmo período de 2015.

O resultado do BMG foi afetado em grande parte pela alta de 74,5% nas despesas operacionais, para R$ 138 milhões. Os gastos com pessoal aumentaram 47,9% em relação ao primeiro trimestre do ano passado.