PTC e Rockwell querem levar IoT para o chão de fábrica. Foto: Pixabay.

A gigante de automação industrial Rockwell comprou 8,4% da PTC, dona de softwares de CAD e de gestão de ciclo de produto (PLM, na sigla em inglês), por US$ 1 bilhão, tornando-se assim a terceira maior acionista da companhia.

O investimento visa reforçar a presença da Rockwell no campo da chamada Internet das Coisas. 

As ações da PTC subiram 10% e bateram um recorde, com a expectativa dos investidores de que o negócio abra portas para a companhia dentro da base de clientes da Rockwell.

Com clientes em 80 paises, a Rockwell teve vendas de US$ 6,3 bilhões em 2017, divididos quase meio a meio entre equipamentos e software para indústrias. A PTC é uma empresa menor, com faturamento na casa do US$ 1,1 bilhão.

Por outro lado, a PTC é uma das empresas de software de design para manufatura que mais tem investido no conceito de Internet das Coisas.

A entrada nesse mercado se deu através da aquisição da ThingWorx, um player especializado em desenvolvimento de software para aplicações para IoT, um investimento de US$ 112 milhões feito ainda em 2013.

Juntas, Rockwell e PTC terão um bom approach de mercado em projetos de IoT industrial, que exigem conhecimento das máquinas instaladas no chão de fábrica e do software análitico necessário para processar o volume cada vez maior de informações que elas podem transmitir.

“À medida que a tecnologia da informação e a tecnologia operacional convergem, há um alinhamento natural entre nossas empresas. Juntos, ofereceremos a plataforma mais abrangente e flexível de IoT no espaço industrial”, resume Blake Moret, e CEO da Rockwell Automation, que partir de agora senta também no conselho da PTC. 

Nos últimos anos, empresas como IBM, Intel, AT&T e GE se uniram para formar um consórcio focado em industrial.

Movimentações individuais também estão acontecendo: a HPE fechou um acordo com a GE e a Microsoft com a ABB, ambos com o mesmo foco em integração de máquinas e tecnologias de análise de dados na nuvem.

O negócio terá implicações no Brasil. A América Latina representou um pouco acima de 5% do faturamento da Rockwell, com vendas de US$ 449,4 milhões. A empresa tem uma fábrica em Jundiaí, no interior de São Paulo.

No Brasil desde 1997, a PTC tem clientes grandes no país como Embraer, Cielo e Tramontina.

Nos últimos anos, a companhia anunciou projetos com um viés de IoT com a Pollux Digital, uma unidade de negócios focada em projetos de internet industrial da Pollux e com primeira subsidiária brasileira da multinacional alemã de componentes, unidades e sistemas de ventilação e ar condicionado Trox.