Huiran Fornazieri. Foto: Leandro Souza/ Baguete

Programadores e pesquisadores encubados no Centro de Empreendimentos em Informática [CEI] da UFRGS criaram o X Manager, um simulador virtual de administração e empreendedorismo.

A plataforma contém tarefas, planilhas e formulários fazendo com que o usuário decida quais são os melhores investimentos e decisões para que a empresa virtual não vá à falência. Para desenvolver a plataforma, que atualmente está em estágio open beta, a empresa investiu cerca de R$ 13 mil.

“Os desafios são focados em quatro áreas: produção, marketing, recursos humanos e finanças. Eles funcionam de forma semelhante a um role-playing game (RPG), funcionando através de rodadas e com pontuação de acordo com as decisões tomadas a cada uma delas”, detalha Huiran Fornazieri, um dos criadores do simulador.

Além de Fornazieri, que é graduado em engenharia agrícola, a equipe do X Manager é liderada por Péricles Machado, mestre em engenharia elétrica. Ambos são ex-participantes de competições na área de gestão, como o finado Desafio Sebrae, um aspecto que os influenciou para a criação do software.

“Utilizamos a mesma filosofia e criamos uma junção de rede social com uma plataforma de simulação com competições e ranking. Aqui estudantes e empreendedores poderão testar seu conhecimento e serem classificados por outros jogadores”, explica Machado.

Além deles, uma equipe de programadores e designer espalhados por São Paulo, Tocantins, Pará e Rio Grande do Sul, formam o time da X Manager, que foi criada há menos de um ano.

Para rentabilizar o negócio, a empresa está em busca de investidores. Embora a plataforma seja gratuita para o usuário final, o alvo para rentabilizar a aplicação está nas empresas e instituições de ensino, que podem encomendar versões específicas do simulador para conduzir testes e treinamentos.

Conforme explica Fornazieri, em praticamente todas as universidades cursos como Administração, Ciências Contábeis, Engenharia de Produção e Economia contam com cadeiras de simulação de gestão empresarial. Muitas delas possuem simuladores rudimentares, feitos basicamente com planilhas.

“Outras (universidades) acabam investindo em soluções terceirizadas para fazer estas simulações. É aí que pretendemos entrar”, explica Fornazieri.

No setor privado, o engenheiro cita exemplos como o de processos seletivos de empresas grandes, que podem aplicar exercícios como o X Manager para analisar e comparar de forma mais assertiva o perfil de gestão de seus candidatos.

“Temos um plano ambicioso em que o X Manager possa se tornar uma espécie de TopCoder, só que voltado aos conhecimentos em gestão”, diz Péricles Machado.

Para quem não conhece, o TopCoder é um ranking mundial que promove desafios para programadores de TI, e que possui bastante prestígio na comunidade tecnológica internacional, sendo inclusive avaliado por companhias como Google e Microsoft.

“Quem sabe um dia as pessoas não coloquem no seu currículo o seu ranking no X Manager?”, finaliza Machado.