Chile sai na frente ao colocar seus dados na nuvem. Foto: flickr.com/photos/fsantana

O CIO da Presidência da República do Chile, Renato Bustamante, afirmou que o primeiro processo de aquisição de serviços em cloud deverá ser concluído em maio.

A informação foi revelada no Forum de Líderes Governamentais, evento realizado pela Microsoft, no Rio de Janeiro, e divulgada pelo site Convergência Digital.

Conforme a matéria, o modelo ainda está sendo definido. São pontos cruciais em discussão a privacidade e a soberania de dados. O e-mail do presidente, Sebastian Piñera, por exemplo, não irá para a nuvem.

O CIO diz que quer usar cloud para agilizar a gestão pública. “Não é um processo fácil. Há muito para mudar na cultura de cada órgão público. Mas unificar é a saída para se ter eficiência e preços mais justos”, avaliou.

Bustamante afirma que a ausência de uma regulamentação é um fator que atrapalha no avanço da utilização da nuvem.

Recentemente, a presidência da República criou um sistema próprio de gestão pública, que já está sendo contratado por outras autarquias e ministérios.

No ano passado, o Chile foi o país escolhido pelo Google para receber o primeiro data center da gigante na América Latina. Para isso, a cidade de Quilicura, na região metropolitana de Santiago,  receberá um investimento de “longo prazo” no data center de US$ 150 milhões.