Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Porto Seguro, uma das maiores seguradoras do Brasil, sofreu um ataque cibernético nesta quinta-feira, 14, que resultou em uma “instabilidade parcial em seus canais de atendimento e em alguns de seus sistemas”, segundo informa a empresa em nota.

De acordo com os relatos de usuários nas redes sociais, o problema teria afetado sistemas como aplicativo, site, telefone e WhatsApp.

"Vocês foram hackeados? Por que nenhum canal de atendimento está funcionando? Preciso abrir um chamado urgente!”, questionou um cliente da companhia através do Twitter.

Alguns segurados relataram dificuldades para entrar em contato com a empresa desde a noite da última quarta-feira, 13, enquanto outros começaram a tentar na manhã do dia seguinte. 

“Poxa, tô tentando acessar o app e portal do cliente desde 8h pra pagar minha fatura e vocês estão com instabilidade. Nem o WhatsApp tá funcionando. Como que faz?”, perguntou outra usuária da rede social.

Em nota enviada ao Baguete, a seguradora não deu mais detalhes sobre a natureza ou extensão do incidente, mas afirmou não ter identificado até o momento qualquer vazamento de dados da companhia, suas controladas, seus clientes e/ou parceiros, incluindo quaisquer dados pessoais.

A Porto Seguro afirma ter ativado prontamente todos os protocolos de segurança e, desde às 15h, estar trabalhando para restabelecer gradualmente seu ambiente e “retomar a normalidade o mais breve possível”.

Na noite desta quinta-feira, 14, o site da companhia parece funcionar normalmente, mas a “área do cliente”, por exemplo, apresenta a mensagem “estamos passando por um momento de instabilidade. Nosso time já está atuando e em breve tudo estará normalizado”.

Há 76 anos no mercado, a Porto Seguro atua no ramo de seguros patrimoniais e de pessoas e conta com mais 8 milhões de clientes no Brasil, administrados em 101 sucursais e escritórios regionais. Em 2020, a seguradora registrou lucro líquido de R$ 1,69 bilhão, alta de 22,3%.