CRISE

Mercos corta 40% do time

14/05/2020 07:54

Empresa de Joinville demitiu 51 profissionais. Crise vem impactando startups catarinenses.

Tiago Brandes.

Tamanho da fonte: -A+A

A Mercos, uma startup de Joinville especializada em software de vendas para indústrias e distribuidoras, cortou 40% da sua equipe nesta quarta-feira, 13, demitindo 51 profissionais.

A medida foi anunciada pelo CEO da empresa, Tiago Brandes, em um post no Linkedin.

Segundo Brandes, mais da metade dos 6 mil clientes da Mercos tiveram quedas de 70% no faturamento.

O CEO ilustra a gravidade da situação de um cliente do segmento de artigos para festas que viu o faturamento cair de R$ 700 mil para R$ 8 mil. Esse cliente pagava mensalmente R$ 4 mil mensais para a Mercos.

De acordo com o empresário, a empresa sempre investiu no "limite máximo, gerenciando nosso orçamento em regime de caixa".

"O problema dessa abordagem é que ela não deixa margem para erros. Quando a crise chegou, nos vimos em uma situação de caixa muito desfavorável. Sempre tratamos o corte de pessoas como a última medida, mas infelizmente este momento chegou", afirma Brandes.

A companhia vinha bem, tendo atingido um faturamento de R$ 18 milhões no ano passado, o que representa uma alta de 40% frente a 2018. A projeção para 2020 era manter os 40%, chegando a R$ 25,2 milhões. Foram contratadas 30 pessoas em 2019.

A crise está impactando startups em todo o país e não é diferente em Joinville, a maior cidade de Santa Catarina e lar de um ecossistema robusto de tecnologia, com empresas de destaque em nível nacional.

Outra empresa local que fez um grande corte de equipe recentemente foi a ContaAzul, uma das startups mais badaladas do país, onde foram demitidos cerca de 140 pessoas, um terço do time total.

Veja também

CRISE
Stone demite 20% da equipe

Queda nas vendas do varejo leva empresa de máquinas de cartão a cortar 1,3 mil pessoas.

CONSOLIDAÇÃO
Forrester prevê massacre do canal nos EUA

Estimativa é que 25% dos canais de TI possam fechar ou serem comprados.

MOMENTO
Visão de médio prazo: mais cautela, mais empregos

A crise provocada pelo coronavírus exige calma para não colocar a empregabilidade em risco nem gerar um colapso econômico e social.

OTIMISMO
80% das startups da Wayra não pensam demitir

Mesmo assim, 74% preveem impactos negativos nos seus negócios pelo coronavírus.

PIVOTOU
Omie: corte e virada de rumo

Companhia de ERP na nuvem corta um terço do time e agora foca em clientes maiores.

SINAL DOS TEMPOS
Site de empregos lança solução de demissão

Trampos.co cria Offboarding Kit para as empresas fazerem “demissão responsável”.

MEDIDAS
Linx corta vales de quem está em home office

Medida afeta vales de alimentação e refeição de quem ganha acima de R$ 2090.

CORTES
Rock Content demite 20% da equipe

Empresa estava em alta, foi impactada pelo coronavírus e cortou cerca de 90 funcionários.

DEMISSÕES
MaxMilhas corta 42% da equipe

Startup sentiu o impacto do coronavírus nas companhias aéreas: 167 foram demitidos.

CENÁRIOS
Home office deve aumentar depois do coronavírus

CFOs pesquisados pelo Gartner querem que funcionários sigam trabalhando em casa.

CRISE
Gympass demite cerca de um terço

Cortes afetaram a área de TI no Brasil, que conta com cerca de 200 funcionários.

CRISE
CVC corta custos para valer

Operadora reduz salários da diretoria pela metade e renegocia todos os contratos.

SEPARAÇÃO
Teikon vai sair da HT Micron

Coreanos mandam na joint venture da área de semicondutores.