MEDIDAS

Linx corta vales de quem está em home office

14/04/2020 13:44

Medida afeta vales de alimentação e refeição de quem ganha acima de R$ 2090.

Funcionário da Linx na sede da empresa em São Paulo. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Linx cortou os vales refeição e alimentação dos seus funcionários que estão atuando em home office com salários acima de R$ 2090, como uma medida de redução de custos em função da pandemia do coronavírus.

A medida veio à tona em uma postagem do sindicato gaúcho Sindppd-RS, que se negou a aprovar o corte, aprovado por sindicatos em outros estados do país.

Procurada pela reportagem do Baguete, a Linx disse em nota que a pandemia “afeta severamente o varejo, seu mercado de atuação” e que as “negociações com os demais sindicatos foram atendidas prontamente”. 

A companhia não disse em quais estados a medida já vigora, apenas que eles concentram 65% da sua força de trabalho. Por sua parte, o Sindppd-RS só mencionou que a medida tinha sido aplicada em “São Paulo e outros estados”.

Nenhum dos dois lados quis se aprofundar mais nas informações divulgadas. Não está claro por tanto se o sindicato gaúcho é o único a oferecer resistência, ou em que outros estados além de São Paulo a medida foi implementada.

De acordo com o Sindppd-RS, a Linx tem 500 funcionários no Rio Grande do Sul. Eles recebem R$ 484 de vale refeição, como parte da convenção coletiva, e outros R$ 130 de auxílio alimentação.

“Os funcionários da Linx prosseguem trabalhando de forma remota (home office), cumprindo com os seus contratos de trabalho, e precisam se alimentar. Além disso, não temos notícia de que a empresa dividiria os custos com energia elétrica, internet etc. que os trabalhadores estão tendo em suas casas”, afirma o Sindppd-RS.

O sindicato se diz “disposto a negociar”, mas não abriu para a reportagem do Baguete qual seria a sua contraproposta.

No dia 19 de março, quando os efeitos da pandemia já eram evidentes no Brasil, ,a Linx divulgou um comunicado para investidores, alertando sobre “possíveis perdas” para a empresa a partir da segunda quinzena do mês.

Na nota, a menciona consequências negativas para os níveis de inadimplência, novas vendas, implementação de projetos, ativação de lojas, receita vinculadas ao volume de transações (principalmente em Linx Digital e Linx Pay) e churn decorrente do fechamento de lojas. 

A companhia aponta ainda que “uma forte desvalorização cambial” pode influenciar os patamares de custos, principalmente aqueles vinculados à nuvem pública.

A receita operacional líquida da Linx foi de R$ 182 milhões no quarto trimestre de 2018, avanço de 15,7%, em comparação ao ano anterior, de acordo com os últimos resultados divulgados.

A NOTA DA LINX NA ÍNTEGRA:

“Diante dos efeitos da pandemia da Covid-19 e de todo o impacto na economia do país, que afeta severamente o varejo, seu mercado de atuação, a Linx solicitou aos Sindicatos da categoria a suspensão do fornecimento de Auxílio Refeição/Alimentação (o Vale Alimentação é uma liberalidade da empresa, não prevista em CCT da categoria) enquanto seus colaboradores estiverem em home office – seguindo as orientações das autoridades médicas e sanitárias. Os benefícios, no entanto, estão mantidos para os funcionários que recebem até R$2.090,00 – dois salários mínimos.

Para os colaboradores que excepcionalmente precisarem trabalhar presencialmente nos escritórios, o pagamento de refeição e transporte será feito via reembolso.

Também esclarecemos que as negociações com os demais sindicatos foram atendidas prontamente e representam 65% da nossa força de trabalho.”

Veja também

DEMISSÕES
MaxMilhas corta 42% da equipe

Startup sentiu o impacto do coronavírus nas companhias aéreas: 167 foram demitidos.

CORONAVÍRUS
Startups se comprometem em peso com home office

672 assinaturas de CEOs em manifesto com medidas para controlar a pandemia.

MERCADO
Linx prepara investidores para perdas

Efeitos negativos do coronavírus sobre o varejo devem ter consequências na empresa.

RESPOSTAS
Linx adota home office parcial

Funcionários farão turnos trabalhando de casa, visando reduzir concentração.

NÃO DEMITA
Empresas convocam para manifesto contra demissões

Entre as 40 companhias, estão nomes como Accenture, CI&T, Stefanini, Microsoft e Salesforce.

PESSOAS
Renner suspende demissões por tempo indeterminado

Decisão acontece em um momento problemático para todo varejo.

CORTES
Rock Content demite 20% da equipe

Empresa estava em alta, foi impactada pelo coronavírus e cortou cerca de 90 funcionários.

CENÁRIOS
Home office deve aumentar depois do coronavírus

CFOs pesquisados pelo Gartner querem que funcionários sigam trabalhando em casa.

CRISE
Gympass demite cerca de um terço

Cortes afetaram a área de TI no Brasil, que conta com cerca de 200 funcionários.

ECONOMIA
Governo autoriza corte de salário e redução da jornada

Tesouro Nacional pagará uma compensação no valor do seguro-desemprego por até dois meses.

CRISE
CVC corta custos para valer

Operadora reduz salários da diretoria pela metade e renegocia todos os contratos.