Nem tente. Foto: flickr.com/photos/quinnanya

A velocidade da conexão 3G no litoral gaúcho, que é fraca e tem piorado, nunca foi medida pela Anatel.

A descoberta da ausência de monitoria é consequência de uma consulta à agência reguladora feita pelo Ministério Público Federal, após matéria da Zero Hora sobre a má qualidade da conexão, revela o jornal gaúcho.

O Ministério Público espera uma medição urgente até o fim do veraneio e já estuda medidas jurídicas para resolver o problema.

A Anatel prevê em seu regulamento que a verificação da velocidade do 3G seja feita por uma empresa privada, contratada pelas operadoras – no caso, a PricewaterhouseCoopers (PwC).

Segundo o MPF, a PwC não teria medidores em cidades do Litoral Norte e, por isso, a agência não teria recebido dados sobre o serviço na região.

Os dados são importantes para que se possa levar a questão à Justiça, caso seja verificada a precariedade do serviço. 

Segundo os dados da pesquisa feita por repórteres da ZH, todas as operadoras tiveram velocidades de download bem abaixo dos 1Mbps previstos para o serviço no Litoral

Os testes foram realizados nas praias de Tramandaí, Capão da Canoa, Xangri-Lá e Torres.