SexyHot criou sua própria versão do Google Cardboard.

O canal adulto por assinatura Sexy Hot contratou a startup carioca UView360 para começar a oferecer conteúdo para dispositivos de realidade virtual, a tendência do momento no mundo da pornografia.

A novidade está disponível só para assinantes do Sexy Hot.  Os clientes podem assistir conteúdo gravado em 360º graus em tablets, celulares, desktops e numa espécie de Google Cardboard feito especialmente pelo canal.

Como outros segmentos da economia, o conteúdo adulto entregue por assinatura está enfrentando os efeitos da crise.

Dados obtidos pelo UOL apontam que no ano passado todos os canais adultos do país somaram 410 mil assinantes: foi o primeiro ano, desde 2008, em que o número de assinantes caiu, em cerca de -10%.

“Desenvolvemos uma forma muito especial de captar em POV (do inglês, ‘Point Of View’) e oferecer com muita qualidade uma experiência única ao público dos filmes pornôs", destaca Charles Boggiss. 

No mercado desde 2009, a UView360 tem mais experiência em eventos esportivos como o Mundial de Surf, Skate Bowl, BMX Escadaria de Santos e numa série de produções especiais em realidade virtual para as Organizações Globo, com destaque recente para os 90 anos do jornal e os 50 da TV.

Analistas do mercado de tecnologia ainda discutem o quanto a adoção pela indústria pornô pode ajudar a fazer decolar os equipamentos de realidade virtual no mercado consumidor. 

Os filmes adultos já ajudaram a decolar diversas maneiras de consumir conteúdo, como por exemplo o VHS, o DVD e, nos últimos anos, o steaming online.

Um dado interessante foi levantado pelo TechMeme: o site do Oculus Rift, um dos produtos mais promissores no segmento, recebeu 2,7% do seu tráfego através de links de portais de pornografia no ano passado. 

No caso do modelo Homido, que segue a linha do Google Cardboard, a cifra chegou a 51,4% vindo somente do site Virtualrealporn.com, pioneiro na área de conteúdo exclusivamente 360º.