João Eduardo Ferreira.

A USP iniciou um projeto para migrar os seus serviços de e-mail de uma plataforma interna baseada na solução open source Zimbra para o G Suite for Education do Google. 

O novo serviço será disponibilizado em diferentes fases para alunos, ex-alunos, docentes e servidores técnicos e administrativos da universidade, incluindo uso ilimitado dos serviços de e-mail, com controle de spam, calendário, contato, comunicação digital, armazenamento e compartilhamento de documentos.

Em nota, a USP não chega a mencionar o número total de contas, quantas delas serão pagas ou quem é o parceiro Google à frente do projeto. Tipicamente, o licenciamento para instituições de ensino envolve liberação gratuita para alunos e paga pelo lado administrativo.

Somando todos os campi, a USP tinha em 2012 5,8 mil professores e 93 mil alunos matriculados entre graduação e pós-graduação.

A universidade informa que espera uma economia de aproximadamente R$ 6 milhões por ano. O atual serviço de e-mail continuará disponível aos usuários, até novembro de 2017, para consultas aos e-mails anteriores à data de migração.

O projeto piloto terá início a partir do dia 2 de janeiro de 2017, com os servidores da Superintendência de Tecnologia da Informação (STI). 

Adicionalmente, a partir desta data, as novas contas de e-mails de alunos, ex-alunos, docentes e servidores da USP já serão criadas na nova plataforma USP-Google.

A TI da USP é comandada por uma Superintendência de Tecnologia da Informação (STI), que coordena as atividades de TI; um Conselho Gestor da STI, que projeta, desenvolve, implanta e mantém todas as atividades de interesse comum relacionadas à área; e quatro Centros de Tecnologia da Informação (CeTI), responsáveis pela coordenação das atividades regionais. 

Desde o final de 2014, a STI é comandada por pelo do Departamento de Ciência da Computação, do Instituto de Matemática e Estatística (IME), João Eduardo Ferreira.

O Google está em alta na educação paulista. Em 2013, a empresa fechou um acordo pelo qual os 4,3 milhões de alunos da rede de ensino estadual terão acesso a e-mails personalizados com 25 GB.

Além disso, as 5 mil escolas estaduais passaram a usar hangouts para interação em tempo real entre estudantes e professores, além de possibilitar a criação de grupos por disciplina ou área de interesse e a criação de redes sociais e canais para escolas, diretorias e setores administrativos.