Grupo NK rastreia com padrão GS1. Foto: divulgação.

O Grupo NK, um dos maiores varejistas do setor hortifrutigranjeiro no país, adotou padrão GS1 para seus códigos de barra, em busca da melhora do controle da movimentação dos produtos em suas sete lojas no estado de São Paulo.

O projeto envolveu a adoção de rastreabilidade para controlar datas de validade de produtos, devido à grande quantidade de itens, ao abastecimento diário e à intensa movimentação dos alimentos na área de vendas feita pelos funcionários e consumidores.

Outras empresas envolvidas no projeto, de valor não divulgado, são a HappyBiz – responsável pelo sistema de gestão empresarial (ERP) do Grupo NK – e a Cattena Food Change, prestadora de serviços e soluções no segmento de alimentação.

A iniciativa de implantar a solução começou há dois anos com o projeto de rastreabilidade e de melhoria de gestão das datas de validade do tomate Sweet Grape, um dos produtos comercializados pelo grupo.

“Escolhemos esse produto porque o produtor aderiu à solução para conseguimos controlar a cadeia de abastecimento do começo ao fim”, explica Julio Tadeu Aoki, sócio do Grupo NK. Em 2013, o Grupo NK movimentou 585 toneladas do tomate – produto bastante sensível à ação do tempo e manuseio.

“Com todo o processo de lote criado e com a respectiva data de colheita, conseguimos as datas de embalagem e validade dos produtos, identificando as informações por meio das etiquetas GS1-128 e do arquivo XML da nota fiscal eletrônica”, diz o diretor de tecnologia da HappyBiz, Francesco Conventi.

O projeto possibilitou um ganho significativo de qualidade para o Grupo NK, pois, ao compartilhar com os produtores rurais as eventuais falhas da mercadoria, eles podem corrigi-las rapidamente.

“Esse tipo de processo ajuda o produtor a diminuir as perdas e fornecer um produto com o padrão de qualidade esperado. Esse é o impacto da sustentabilidade: produzir mais com o mesmo recurso e ainda gerar menos perdas na cadeia produtiva”, comenta o CEO da Cattena Food Change, Thomas Eckschimidt.

Nos estabelecimentos do Grupo NK, a gestão melhorou consideravelmente com o GS1-128, que automatiza os processos e dispensa a digitação. O maior ganho obtido com a rastreabilidade e a codificação foi a segurança do alimento.

“Se identificarmos alguma falha na produção ou no peso do produto, por exemplo, rapidamente conseguimos fazer um recall e resolver o problema”, diz Julio Tadeu Aoki, sócio do Grupo NK.