SEGUNDA FASE

Brasil Mais TI: R$ 12 mi para mão de obra

12/09/2013 17:23

Programa já formou mais de 103 mil pessoas e projeta passar dos 900 mil até 2022.

Brasil Mais TI forma mão de obra via web. Foto: Foto: Flickr.com/57555728@N04

Tamanho da fonte: -A+A

Foi lançada nesta quinta-feira, 12, a segunda fase do Brasil Mais TI, na qual MCTI e Ministério da Educação investirão R$ 12 milhões para fomentar formações de profissionais para atuar em TI em todo o país.

O programa foi lançado em setembro do ano passado, com investimento de R$ 2 milhões, e na primeira fase formou mais de 103 mil pessoas, bem acima da projeção inicial de 50 mil até 2014, segundo o ministro Marco Antonio Raupp.

Até 2022, a meta é formar 900 mil profissionais.

Do total a ser investido na segunda fase, R$ 8 milhões virão do Ministério da Educação e R$ 5 milhões, do MCTI, mas há também aportes de valores não abertos de parte da iniciativa privada, de empresas afiliadas à Brasscom, que é a entidade responsável pela geração do conteúdo das formações.

As capacitações são oferecidas em plataforma de e-learning, em nível técnico e superior para as áreas de software e serviços de TI, e nesta segunda fase ganham reforço de ferramentas de interação nas redes sociais, informa a Agência Estado.

No fornecimento de conteúdo e parcerias, entram empresas como Microsoft, Intel e EMC, com foco em seus centros de desenvolvimento, e Totvs, cujo departamento de Oportunidade Social está de olho nos alunos do programa, com demanda em aberto para contratação de cerca de 100 profissionais.

Boa notícia para os participantes, já que, conforme o secretário de Política de Informática do MCTI, Virgilio Almeida, da primeira fase já há cerca de 20 mil currículos cadastrados para oferecer às companhias interessadas.

Veja também

EM BUSCA DA MÃO DE OBRA
Brasil Mais TI começa por Uberlândia

Cursos online para capacitar profissionais de TI são aposta do governo, e estreiam na cidade que acaba de receber projeto de polo tecnológico.

BITS 2012
Falta mão de obra... e só chorar não resolve!

Empresas e universidades debateram como superar o problema da falta de profissionais de TI na BITS 2012.

Mão de obra do iPhone custa US$ 12,50

O analista Horace Dediu calculou entre US$ 12,50 e US$ 30 o custo da mão de obra para a fabricação do iPhone dentro das unidades da Foxconn, na China.

A estimativa foi feita com base em dados da TV ABC, que visitou as instalações da fábrica.

Além disso, a reportagem da rede norte-americana revelou que cada iPhone leva 24 horas para ser construído e que um trabalhador na linha de montagem ganha US$ 1,78 por hora.

Brasscom: sobra mão de obra de TI em MG

Ao contrário do que demonstram estatísticas nacionais, a mão de obra em TI é abundante em Minas Gerais.

Até demais: o estado é um dos três que terão sobra na oferta de profissionais para o mercado de TI em 2014, segundo um estudo da Brasscom.

Conforme a pesquisa, o mercado deve demandar 3.775 profissionais de TI daqui a três anos, mas só em Minas 4.345 hoje graduandos terão se formado até lá.