CRAQUE

Scala traz ex-AWS para o time

12/05/2022 06:26

Executivo experiente liderou por 10 anos os data centers da AWS no Brasil.

Eduardo Reigada. Foto: Divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

Eduardo Reigada, ex-head da área de Infraestrutura de Data Centers da AWS para América Latina, acaba de assumir o cargo de vice-presidente de Operações de Data Centers da Scala.

Reigada é uma contratação de peso: ele passou uma década na AWS, onde foi contratado em 2013, dois anos depois da gigante de nuvem inaugurar seu primeiro data center no Brasil.

O executivo teve uma passagem destacada na AWS, tendo sido responsável, ainda, pela obtenção de duas patentes internas ligadas ao aumento da eficiência da refrigeração e redução de tempo de resposta em atividades de manutenção.

Reigada participou da implementação do primeiro backbone de Internet não público comercial no Brasil, em 1996, ao liderar as áreas de Engenharia e Operações da Global One Communication, uma joint-venture entre a Sprint, France Telecom e Deutsche Telekom. 

“É inspirador poder apoiar a Scala a ser a melhor empresa de serviços de data center na região, com base em uma cultura de segurança e disponibilidade, como foco no desenvolvimento de pessoas e usando a inovação como catalizador para o crescimento sustentável”, afirma Reigada.

A Scala foi fundada em 2020, a partir da compra da UOL Diveo pela então Digital Colony (hoje DigitalBridge  e vem reforçando seu time e presença desde então

Em novembro do ano passado, a empresa trouxe Agostinho Villela, ex-diretor de inovação para América Latina da IBM para a posição de Chief Technology Officer (CTO) da companhia.

Meses antes, a Scala anunciou a contratação de outro veterano da IBM. Serafim Abreu Junior assumiu como vice-presidente financeiro e administrativo da companhia em outubro de 2020.

Em maio do ano passado, a Scala fechou a compra de um data center da Algar Tech, em Campinas, no interior de São Paulo.

O negócio foi revelado pelo Valor Econômico. A Scala não abriu o valor da compra, apenas que ela faz parte de um pacote de investimentos de R$ 2 bilhões até o terceiro trimestre de 2022 destinado à expansão da operação em São Paulo.

O valor inclui a ampliação do data center adquirido, um outro a ser feito em Campinas e mais dois no campus da Scala em Tamboré, na grande São Paulo, tudo previsto para entrar no ar entre o final de 2021 e 2022.

Na época da compra da UOL Diveo, a DigitalBridge já havia adiantado que tinha interesse em seguir comprando. O fundo tem muita bala na agulha.

No ano passado, a empresa gastou US$ 14,3 bilhões para levar a rede de fibra óptica da Zayo Group Holdings, presente nos Estados Unidos e Europa.

A companhia também comprou a Highline do Brasil, um fornecedor independente de soluções de infraestrutura para o setor de telecomunicações, de propriedade do Pátria Investimentos que atende clientes como TIM, Vivo, Claro e Oi.

Nesta quinta-feira, 12, a DigitalBridge desembolsou US$ 11 bilhões para comprar a Switch, um grande player de data center americano.

Veja também

MULTICLOUD
B3: nuvem com Oracle e Microsoft

Bolsa de valores brasileira anunciou projeto de migração de 10 anos.

FATIAS
AWS, Microsoft e Google aumentam concentração

Três grandes players já são 65% do mercado mundial de computação em nuvem.

NOMES
Ferrigolo, ex-Teradata, está na AWS

Gigante de nuvem traz executivo experiente e com conhecimento de Itaú.

TRUQUES
Maquiagem de resultados na IBM?

Acionistas acusam executivos de terem inflado vendas de áreas como nuvem, analytics e outras.

TROCA
Ex-diretor do Datasus está na AWS

Governo deveria introduzir regras de quarentena também na área de TI?

40 GRAUS
AWS tem zona de nuvem no RJ

Com novo data center, gigante de nuvem iguala a oferta da rival Microsoft.