Sinqia está na lista das Small Caps da B3.

A Sinqia, fornecedora de software para o setor financeiro, acaba de ser incluída pela B3 no Índice Small Cap, que reúne as 79 empresas mais negociadas com menor capitalização de mercado da bolsa brasileira.

O chamado SMLL reúne ações de empresas relativamente pequenas dentro da bolsa, mas cujos papéis tem boa liquidez.

Para compor o índice, os ativos devem estar fora da lista dos que representam 85% do valor de mercado de todas as empresas na B3. 

Contudo, o ativo deve estar entre os 99% mais negociados na bolsa (0 1% restante são as chamadas “penny stocks”, ações com valor abaixo de R$ 1 que geram pouco interesse de compra).

O Índice Small Cap é uma versão para as empresas menores do índice Ibovespa, formando uma carteira de ações imaginária que serve para observar o desempenho do mercado como um todo. Participar nos índices é uma espécie de grife para os investidores.

Além da Sinqia, outra representante da área de tecnologia no SMLL é a Positivo Tecnologia. No Ibovespa, recentemente a Totvs se tornou a primeira participante da área.

“A entrada no SMLL certamente aumenta a visibilidade da companhia e deve atrair investidores institucionais que desejam replicar a carteira do índice, o que deve impulsionar ainda mais o volume diário negociado do nosso papel”, afirma José Leoni, Gerente de Relações com Investidores da companhia.

A Sinqia tem hoje 100 mil investidores individuais na base acionária, contra os 11 acionistas que fizeram a abertura do capital em 2013, quando a companhia ainda se chamava Senior Solution.

A receita líquida em 2019 foi de R$ 175,1 milhões, um aumento de 23,3% sobre 2018.  

A empresa já fez 14 aquisições desde 2005, formando uma oferta com pilares focados em bancos, fundos, previdência e consórcios, além de outsourcing e consultoria.