O foco principal é em tecnologias que possam dar suporte às principais áreas da operadora. Foto: divulgação

A Telefónica anunciou que vai reposicionar sua estratégia de investimento em fundos de venture capital e fará novos aportes em startups de quatro países, incluindo o Brasil.

Segundo o site TI Inside, o país, junto com Espanha, Estados Unidos e Israel, é considerado um mercado-chave pela companhia.

Por aqui, o investimento será realizado no fundo da Redpoint eventures, gestora de venture capital que investe em startups na América Latina.

Segundo a empresa, a nova estratégia é uma evolução da primeira geração de fundos, feita entre 2012 e 2018, cujo objetivo era fomentar os ecossistemas de inovação da Espanha e América Latina. Agora, o foco principal seria dar suporte às principais áreas da operadora.

Ainda de acordo com a publicação, as gestoras deverão trabalhar junto com equipes locais da operadora e/ou da Wayra, hub de inovação aberta do grupo Telefónica, para buscar e integrar startups que façam sentido na cadeia de valor da companhia.

As áreas prioritárias são digital consumer, transformação digital, redes 5G e as próximas gerações, cibersegurança, nuvem, inteligência artificial, IoT, blockchain e fintechs.

Segundo o site, os investimentos da companhia espanhola em fundos são feitos por meio do Telefónica Innovation Ventures, veículo de corporate venture capital da Telefónica, que também investe diretamente em startups. 

Os aportes diretos acontecem desde 2007 e o portfólio atual possui 10 startups dos Estados Unidos, Espanha, Canadá, Israel e França. 

Já os negócios da Telefónica com gestoras de fundos acontecem desde 2012 e acumulam mais de 80 startups investidas em 12 fundos, incluindo dois da InvestTech no Brasil.

"As startups nos trazem tecnologia, novos produtos e serviços para nos diferenciar, além de contribuírem na agilidade de lançamentos ao mercado", ressaltou Guenia Gawendo, diretora global do Telefónica Innovation Ventures, ao TI Inside.

Como parte da estratégia global em open innovation da Telefónica, a Wayra deve dobrar o valor dos aportes e passar a investir até R$ 1 milhão por startup. 

"Estamos animados com o fortalecimento de nossa parceria com a Telefónica/Vivo. Além do pioneirismo global da companhia em iniciativas de inovação e colaboração com o ecossistema de startups, a Telefónica é conhecida por ser referência", afirmou Anderson Thees, managing partner da Redpoint eventures, ao TI Inside.

Conforme a publicação, os investimentos acontecem durante o ano todo, sem períodos específicos para inscrição, que pode ser feita a qualquer momento pelo site.

“Trabalharemos ainda mais próximos da Redpoint para identificar as startups com grande potencial para fazer negócios com o grupo, além de oportunidades de coinvestimentos e investimentos em rodadas subsequentes", comentou Renato Valente, diretor de inovação aberta da Telefónica e country manager da Wayra no Brasil, ao TI Inside.