Vista do centro de Campinas. Foto: flickr.com/photos/stankuns/

As empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) sediadas em Campinas e região alcançarão em 2012 a marca de R$ 1,5 bilhão em faturamento anual, uma alta de 25% frente aos números do ano passado.  

É o que aponta um levantamento feito pelo Núcleo Softex Campinas – associação das empresas de software que atua na cidade e no interior de São Paulo – com base na expectativa de faturamento de 140 empresas associadas com sede na região.
 
De acordo com Fábio Pagani, fundador e consultor do Núcleo Softex Campinas, o bom resultado é fruto da expansão das empresas no mercado interno, e também da manutenção dos níveis de exportação.

“Mesmo com um cenário internacional negativo e o agravamento da crise europeia, as empresas associadas continuaram exportando tecnologia de alto valor agregado”, afirma Pagani.

A geração de empregos acompanhou a evolução dos negócios na região e o crescimento médio da quantidade de postos trabalhos também foi da ordem de 25%.

A falta de mão de obra especializada continua sendo um dos principais gargalos para o desenvolvimento do setor: as 140 associadas somam cerca de 250 vagas não preenchidas por falta de profissionais

Buscando soluções para o problema, um dos principais objetivos do Núcleo em 2013 será estreitar as relações com as novas lideranças políticas da região revela Pagani.

“O apoio político é fundamental para que sejam criadas medidas de incentivo ao ecossistema. Isso foi esquecido nos últimos anos, o que impediu o polo de desenvolver-se ainda mais”, confessa Pagani.

O Núcleo Softex Campinas tem como fundadores a Prefeitura Municipal de Campinas, a Unicamp e a Associação das Empresas de Software de Campinas, e atua em prol do desenvolvimento do setor tecnológico em parceria com órgãos como Unicamp Ventures, Agência de Inovação da Unicamp (INOVA), Campinas Startups, Fórum Campinas e Conpec (Empresa Jr. de Computação da Unicamp).