FSM

IFS adquire a Astea

11/10/2019 10:26

Compra reforça presença dos suecos na área de gerenciamento de serviço de campo.

Darren Roos, CEO da IFS. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A IFS, multinacional sueca de sistemas de gestão, assinou um acordo para adquirir a Astea, empresa americana de software para gerenciamento de serviço de campo (FSM, na sigla em inglês). 

O anúncio foi feito no IFS World, evento anual da companhia, realizado entre os dia 8 e 10 de outubro em Boston.

O negócio expande a atuação da IFS no segmento de FSM, no qual a companhia sueca já aparece entre as líderes do quadrante mágico do Gartner. Juntas, Astea e IFS atendem a 8 mil clientes com softwares para gerenciamento de campo.

Com sede no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, a Astea não tem presença no Brasil. A companhia tem grandes unidades em outros três países (Austrália, Inglaterra e Japão), além de presença em Israel e na Holanda.

A partir da aquisição, a IFS ganha força em clientes de médio e grande porte nos setores de telecomunicações, controles e instrumentação, incêndio e segurança, dispositivos médicos, manufatura, equipamentos industriais e de varejo, destaques entre clientes da Astea.

Hoje, a companhia sueca tem foco em empresas dos segmentos de energia, óleo e gás, manufatura complexa e aviação & defesa. 

Em 2020, a IFS espera uma alta de 40% nas receitas com licenças de software para gerenciamento de serviço de campo. Aproximadamente 80% desse faturamento deve vir de contratos de recorrência.

"Ambas as organizações, nossos clientes, parceiros e funcionários se beneficiarão de nossa experiência em domínio coletivo. Com esta aquisição, construiremos a oferta mais atraente de FSM do setor", comenta Darren Roos, CEO da IFS.

Com o reforço em FSM,  a IFS busca aproveitar a tendência de servitização, estratégia em que as empresas buscam novas receitas ao lançar novos serviços associados a seus produtos.

“Frequentemente vemos que nossos clientes tem gaps em seu portfólio de serviços e nós podemos ajudá-los nisso. A receita de serviços gera oportunidade de crescimento com maior margem”, destaca Marne Martin, presidente da IFS para a unidade de gerenciamento de serviços.

As linhas da IFS para gerenciamento de serviços são importantes para trabalhar com os clientes de segmentos complexos nos quais tem foco. 

A companhia sueca é menor que SAP e Oracle, com as quais disputa o mercado de ERP, mas consegue complementar a oferta com linhas de software de gerenciamento de ativos (EAM) e gestão de serviços (ESM), importantes para empresas que lidam com ativos que precisam ser gerenciados por longos períodos de tempo. 

Em 2018, a a IFS fechou o ano com faturamento de US$ 606 milhões. Para 2019, a expectativa é crescer 21%. Até 2021, a companhia tem a meta de chegar a uma receita de US$ 1 bilhão.

*Júlia Merker cobriu a IFS World Conference, em Boston, a convite da IFS.

Veja também

CANAIS
IFS quer participação maior de parceiros no Brasil

Meta é chegar a 40% já em 2020, incluindo alguns novos canais de grande porte.

ERP
Portosys investe pesado em IFS

Companhia de Porto Alegre está de olho no mercado internacional do sistema de gestão sueco.

TENDÊNCIA
Previsões da IFS para a indústria em 2019

Comunicação com o serviço de campo e e-Labels conduzirão uma nova revolução.

ATIVOS
IFS tem mega contrato com Lockheed Martin

Software sueco ajuda a gerenciar contrato de US$ 3,5 bilhões da gigante de defesa.

LIDERANÇA
IFS tem novo Chief Product Officer

Christian Pedersen já passou por SAP e Microsoft.

CARREIRA
Gesto contrata novo diretor comercial

Júlio Cesar Cunha Bueno atuava na Sodexo. 

ESTRATÉGIA
ServiceNow Brasil quer qualificar canais

A companhia não tem o objetivo de aumentar o número atual de aproximadamente 30 parceiros.