Dárcio Stehling, COO da PicPay. Foto: Divulgação.

A fintech PicPay, que oferece uma carteira digital para transferências P2P (peer-to-peer), tem sua operação baseada na nuvem da Amazon Web Services (AWS)

A startup tem atualmente uma base de dez milhões de usuários, dois milhões deles conquistados neste ano.

Por meio do aplicativo, a PicPay possibilita a transferência de dinheiro entre usuários, seja para pagar por serviços ou para dividir contas. O saldo pode sair tanto do cartão de crédito do usuário como do saldo no aplicativo, que pode ser inserido por transferência bancária.

Em 2017, a PicPay teve um crescimento de 2.000% em um período de cinco meses, o que exigiu uma infraestrutura de tecnologia robusta para dar o suporte aos milhões de novos usuários.

“Só foi possível aproveitarmos ao máximo o potencial desse crescimento vertiginoso, mantendo uma experiência do usuário positiva e recepcionando bem os novos usuários por causa da operação 100% na Amazon Web Services", afirma Dárcio Stehling, COO da PicPay.

Com a computação em nuvem, é possível escalar a operação de acordo com a necessidade no crescimento da base de usuários.

Atualmente, a PicPay usa mais de 20 funcionalidades da AWS para disponibilizar seus serviços e estabelecer sua infraestrutura na nuvem, como Amazon API Gateway‎, Amazon DynamoDB, Amazon ElastiCache, AWS Lambda, Amazon Relational Database Service e Amazon Virtual Private Cloud. 

Dessa forma, a startup se prepara para ter a infraestrutura necessária para, até 2020, alcançar os 50 milhões de usuários.

Para ajudar a atingir essa meta, a PicPay está desenvolvendo uma solução de data science em parceria com a AWS, em que os engenheiros da startup contam com a tecnologia e a consultoria da AWS para criar esse novo serviço.