A empresa está oferecendo 1,5 mil unidades veiculares para os testes. Foto: Valdecir Galor/SMCS.

A Prefeitura de Curitiba iniciou na quarta-feira, 10, na região do Hospital Evangélico, no bairro Bigorrilho, o projeto-piloto de uma nova tecnologia para o Estacionamento Regulamentado (EstaR). O sistema em teste é da empresa C-Park e tem como base uma unidade veicular, um aparelho que fica no carro do usuário e é acionado quando ele utiliza uma vaga de EstaR.

A tecnologia da C-Park apresenta três módulos distintos para gerenciamento e controle de vagas. A unidade veicular é acionada e desligada através de apenas um botão. O equipamento tem um display que mostra o tempo de estacionamento e um código de segurança. 

Os agentes de trânsito farão a fiscalização das vagas através de um módulo portátil com impressora (serão quatro conjuntos de equipamentos), no qual digitarão a placa do veículo e o código de segurança da unidade veicular, ativando e validando os créditos de estacionamento. Uma unidade central irá gerir os dados das unidades veiculares e dos módulos dos agentes.

Para utilizar a tecnologia e receber uma unidade veicular, o motorista deverá fazer cadastro e adquirir créditos de estacionamento na unidade móvel da C-Park, que fica estacionado pela região do projeto-piloto. 

A empresa está oferecendo 1,5 mil unidades veiculares para os testes.

O pagamento dos créditos poderá ser feito através de cartão de débito ou crédito. Será cobrado R$ 1,50 por hora de estacionamento (valor atual do EstaR). 

Para interromper o estacionamento, o motorista deve clicar no botão da unidade veicular – caso retire o veículo da vaga e não desligue a unidade, o tempo máximo cobrado será de 2 horas. A unidade veicular deverá ser acionada a cada novo estacionamento.

As 600 vagas de EstaR na região do Bigorrilho são de até duas horas de estacionamento. O cartão tradicional do EstaR, adquirido nas agência lotéricas da Caixa Econômica Federal, também poderá ser utilizado normalmente pelos motoristas nas vagas do bairro.

O projeto-piloto não tem custo para a Prefeitura e os testes serão realizados pelo período de 90 dias. Depois, passarão por avaliação dos usuários e da comissão de análise de projetos da Secretaria Municipal de Trânsito (Setran).

Em outubro de 2013, a Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) publicou portarias convocando empresas a apresentarem novas tecnologias para o trânsito em Curitiba. 

“A comissão tem recebido e analisado novas propostas. Ainda deveremos testar em breve mais uma tecnologia diferente de EstaR eletrônico. A ideia é reunirmos todas as informações dos projetos-pilotos para elaborarmos um futuro edital na área”, explica o coordenador de fiscalização eletrônica da Setran, Marcio de Souza.

No final de julho, o Pango, app que substitui parquímetros e demais mecanismos para cobrança de estacionamento rotativo, começou um projeto-piloto na cidade de Curitiba, que também será testado por 90 dias.

O teste do Pango é realizado na região do Centro Cívico da cidade, com uma tecnologia de cartão eletrônico que permite comprar créditos para o estacionamento rotativo por celular ou tablet. O aplicativo  pode ser utilizado para estacionamento em 288 vagas de EstaR, distribuídas em sete ruas da região.

Também estão em teste na cidade um equipamento de no-break para semáforos, um radar que monitora o uso da faixa exclusiva para ônibus da Rua XV de Novembro, um dispositivo que aumenta o tempo de semáforos para pedestres com mobilidade reduzida e um radar que calcula a velocidade média percorrida por um veículo.

“Os projetos-pilotos estão sendo realizados pela Setran para analisarmos se as tecnologias atendem as necessidades da população e dos órgãos envolvidos com o trânsito”, disse a secretária municipal de Trânsito, Luiza Simonelli.