Alexandre Liuzzi, fundador da Egenius Founders. Foto: Divulgação.

A holding de investimento Egenius Founders planeja investir nos os próximos meses no mercado de fintechs, que são startups voltadas ao mercado financeiro. 

Desde o seu lançamento, em dezembro de 2014, a empresa já investiu e desenvolveu dois marketplaces de serviços - Easy Carros e Singu - e duas plataformas financeiras - BeeCâmbio, um marketplace de corretoras de cambio, e F(x), um marketplace de crédito estruturado. 

Com as quatro empresas já foram investidos mais de R$ 5 milhões e até o fim de 2016 esse número deve ultrapassar R$ 15 milhões.

“Como estamos sempre atentos às tendências, voltamos parte dos nossos esforços para desenvolver soluções tecnológicas no setor de tecnologia financeira, que se mostra muito promissor no Brasil. Nas duas verticais que estamos atuando hoje, crédito e cambio, são quase R$ 2 trilhões em transações de acordo com dados do Banco Central”, explica Alexandre Liuzzi, fundador da Egenius Founders.

Além de Alexandre, a holding tem como sócios fundadores nomes como Marcio William, também co-fundador da Easy Taxi, Fabio Arruda e Eduardo Kupper, ex-executivos da Rocket Internet.

Desde de que iniciaram o projeto com a BeeCâmbio, em agosto de 2015, mais de R$ 50 milhões foram transacionados pelo novo site da empresa. Nos 6 primeiros meses após o lançamento da F(x), mais de R$ 120 milhões em propostas de crédito foram colocadas através da plataforma. 

Para 2017 a expectativa da empresa é que os volumes combinados de Bee e F(x) ultrapassem a marca de R$1 bilhão.  

A Egenius normalmente atua como co-fundadora de startups (no modelo venture builder), entrando em um estágio bastante inicial e utilizando o seu próprio time de tecnologia e gestão, em conjunto com os fundadores, para alavancar as ideias em empresas. 

Depois de um período de desenvolvimento e estruturação - que pode durar de 6 a 18 meses - a Egenius ajuda os fundadores e executivos a captarem recursos com diferentes tipos de investidores e passa a ter um papel menos ativo no dia a dia da empresa.

“Estamos envolvidos em todas as etapas do processo de criação de uma nova empresa, desde a concepção do negócio, estudo do mercado, validação das premissas, testes de hipóteses, planejamento de crescimento e escalabilidade, operações, suporte financeiro, legal e administrativo. Isso além da gestão do time de tecnologia e produto”, explica Fabio Arruda, que atua hoje com a BeeCâmbio.