Pablo Labbe é um profissional referência no mercado Qlik.

O Grupo Keyrus, multinacional francesa especializada em business intelligence, big data e soluções digitais, acaba de abrir uma unidade em Porto Alegre, por meio da aquisição da  Analitika, consultoria especializada em serviços Qlik.

Com a movimentação, o diretor da Analitika, Pablo Labbe, passa a comandar a operação da Keyrus no estado. 

Labbe é um dos profissionais mais experientes no país quando o assunto é Qlik. 

Antes de estar à frente da Analitika, fundada há cinco anos, Labbe passou por outras consultorias especializadas como Vision e iMaps, estando envolvido em projetos na Yara, RBS e Sabemi.

Pela sua expertise na ferramenta de 10 anos, foi nomeado Qlik Luminary 2019. No Brasil, existem apenas dois profissionais Qlik Luminary.

“Nossa expectativa é levar a força da Keyrus para todos os clientes, com a melhor execução de projetos presente no mercado e, consequentemente, captar novos clientes localizados no Rio Grande do Sul”, afirma Labbe. 

A Keyrus trabalha também com tecnologias da Microsoft, Tableau Alteryx, Jedox, Cloudera, entre outros, mas, nos últimos tempos, parece ter um lugar especial no seu coração para a Qlik.

Em fevereiro, a empresa contratou Leonardo Farah, ex-CEO da Toccato, empresa catarinense que é um dos maiores distribuidores da multinacional de software de análise de dados Qlik no Brasil, acaba de assumir o cargo de chief operating officer para América Latina.

Em 2017, a empresa comprou a a paulista QConsulting, uma das maiores parceiras da Qlik no país, com 60 funcionários, um faturamento de R$ 10 milhões em 2016 e clientes como Ticket, Banco Original, Dia, JBS e Eurofarma. 

Com as movimentações, Keyrus está se transformando em um concorrente de peso para as brasileiras Inteligência de Negócios, Toccato e Nórdica, três companhias com aproximadamente 1 mil clientes cada uma que até alguns anos atrás dominavam o negócio Qlik no país, atuando como distribuidores.

A Keyrus faturou R$ 106 milhões no Brasil em 2017, um crescimento de 60% frente aos resultados de 2016.

Com o resultado, o Brasil se tornou o segundo mercado mais importante do Grupo Keyrus, presente em mais de 15 países, que faturou no ano em 2017 um total de € 257,4 milhões (próximo de R$ 1 bilhão), uma alta de 11,7%.

No ano passado, a Keyrus faturou € 273 milhões, uma alta de 6%, e não abriu os dados específicos do Brasil.