Dick Costolo. Foto: divulgação.

O CEO do Twitter, Dick Costolo, anunciou na tarde desta quinta-feira, 11, que deixará o comando da micro rede social, empresa na qual entrou em 2009 como COO e assumiu em 2010 a presidência, no lugar do co-fundador Evan Williams.

Costolo fez o anúncio no seu perfil do microblog, afirmando que deverá deixar o cargo durante as próximas semanas e que Jack Dorsey, co-fundador do Twitter e CEO da empresa de pagamentos Square, assumirá interinamente a posição.

Até o momento, nem o Twitter nem Jack Dorsey, que comanda a Square desde sua fundação em 2009, deram maiores detalhes sobre o retorno do executivo à companhia e seu novo papel na liderança da operação.

Segundo fontes internas da empresa de San Francisco afirmaram ao The Verge, Costolo disse ter tomado a decisão para seguir outros projetos fora do Twitter, uma notícia que surpreendeu a todos.

Entretanto, para analistas, a saída de Costolo reflete um momento conturbado para a companhia, que enfrenta há meses uma estagnação em seu crescimento de usuários.

Apesar disso, a empresa colheu em 2014 os primeiros resultados de sua reformulação da estratégia de captação de receitas via anúncios. No último trimestre de 2014, a empresa teve um faturamento de US$ 479 milhões, um crescimento de 97% sobre o mesmo período no ano anterior.

Vale lembrar que em 2013, durante a gestão de Costolo, o Twitter abriu seu capital na bolsa de Nova York, uma manobra que elevou na época o valor de mercado da companhia para mais de US$ 28 bilhões.

Segundo destacou Costolo em fevereiro deste ano, em 2015 a expectativa é que a rede social atinja a recuperação esperada pelos acionistas em termos de novas assinaturas.

A investida engloba o lançamento de novos produtos e recursos para a plataforma, como a inclusão de vídeos junto com as mensagens de 140 caracteres.

Outro ambicioso anúncio da companhia foi uma parceria com o Google, que fará com que centenas de milhares de posts circulem pelo motor de busca da companhia de Mountain View, dando maior visibilidade à rede social.

A empresa também firmou parcerias com marcas como Yahoo o Flipboard para incluir publicidade em tweets replicados em sites e outros aplicativos. Segundo analistas, este arranjo também vale para a parceria com o Google.