Conferência da Sony na E3. Foto: divulgação.

O primeiro dia de Eletronics Entertainment Expo (E3), em Los Angeles, já reservou a apresentação dos dois consoles que disputarão a supremacia da próxima geração de videogames: o Xbox One, da Microsoft, e o Playstation 4, da Sony.

No entanto, antes da chegada às lojas, que só ocorrerá no fim do ano, a Sony desferiu dois golpes certeiros na MS. O PS4 custará US$ 399, US$ 100 a menos que o Xbox, e não terá restrições para jogos de segunda mão.

O uso de Digital Rights Management (DRM) já era uma discussão recorrente sobre o novo console da Microsoft, antes mesmo da divulgação oficial do aparelho, em maio. Segundo fontes internas da empresa, o console exigirá conexão à internet para autenticação de conteúdos.

Além disso, segundo reportaram sites especializados, os jogos do novo Xbox serão atrelados a somente uma conta de usuário. Para jogar em outra conta, será necessário o pagamento de uma taxa - mais ou menos como ter que comprar o jogo de novo.

A Microsoft pode ter agradado os desenvolvedores de jogos, que sofrem com as perdas acarretadas pelo mercado de jogos usados. No entanto, para conquistar os gamers, a Sony veio na contramão em sua conferência.

O presidente da Sony Computer Entertainment America, Jack Tretton, deixou bem claro o plano com o PS4, em uma cutucada direta rumo à companhia de Redmond.

"Quando alguém comprar um disco do PS4, eles terão os direitos do game, poderão trocá-lo em lojas, vendê-lo para outra pessoa, emprestar a um amigo, ou tê-lo para sempre. Além disso, os jogos em disco não necessitarão de conexão para rodar, nem nenhum tipo de autenticação", afirmou o executivo, arrancando aplausos dos gamers presentes no Los Angeles Convention Center.

Para completar, logo após a conferência, a Sony soltou no Youtube um vídeo tirando onda com a política de controle da Microsoft, mostrando um passo a passo para compartilhar jogos no PS4, com participação do presidente da Sony Studios, Shuhei Yoshida e o chefe de desenvolvimento da companhia, Adam Boyes.

QUEM GANHOU?

Embora a resposta só venha no final do ano, com o lançamento das duas plataformas, a pergunta sobre quem tem a vantagem está pendendo para o lado da Sony. Antes das apresentações, as opiniões eram divididas.

Tanto Sony quanto Microsoft mostraram abordagens diferentes para seus consoles. Enquanto a MS quer vender o Xbox como um centro de entretenimento completo, com opções avançadas de interatividades além dos jogos eletrônicos, a Sony dedicou o PS4 para o público hardcore, colocando os jogos em primeiro plano.

Ao que os analistas apontam, parece que a Sony tomou o caminho certo. "O Playstation 4, embora talvez seja um produto mais convencional, parece bater o Xbox One em todas as áreas que importam", afirmou o analista do The Verge, Sam Byford.

Tanto a Sony quanto a Microsoft anunciaram que seus novos consoles chegarão ao mercado brasileiro ao mesmo tempo que no exterior. A MS já adiantou o seu preço, que ficará em R$ 2.199.

VOLTA POR CIMA

Para analistas, esta pode ser a volta por cima dos japoneses, que perderam a supremacia do mercado na atual geração de videogames. Líder absoluta com o Playstation 2, a multinacional japonesa tomou decisões erradas com o Playstation 3, abrindo o mercado para o Xbox 360.

Em 2005, a empresa de Redmond virou uma pedra no sapato da Sony, lançando o Xbox 360 um ano na frente do PS3 e ocupando o mercado da geração atual.

Outro erro da Sony na época foi inflar o preço do console, que custou US$ 600 dólares em seu lançamento. Confiando no poder da marca, devido ao sucesso do Playstation 2, a empresa teve vendas decepcionantes nos primeiros anos do PS3.

Somente nos últimos três anos a Sony recuperou o prejuízo, inclusive passando o Xbox nas vendas mundiais, com 77 milhões de unidades vendidas.

O desafio da Sony, no entanto, é recuperar o rentável mercado norte-americano, onde ainda perde para a Microsoft.