Dave Wright.

A ServiceNow, multinacional de software na nuvem para gerenciamento de serviços, decidiu embarcar de cabeça na onda do machine learning.

A companhia lançou durante o Knowledge 17, evento global para clientes e imprensa em Orlando, a Intelligent Automation Engine (IAE), motor de inteligência construído sobre sistemas da DXContinuum, empresa de AI comprada em janeiro deste ano.

De acordo com a empresa, a novidade será implementada ao longo de toda a sua plataforma, que começou na área de gerenciamento de incidentes de TI, mas tem cada vez mais atendido áreas como RH, marketing e vendas, por exemplo.  

A ideia é que à medida que o sistema vai identificando e trabalhando com os dados gerados pelos usuários, ele se torne capaz de tomar decisões e até mesmo prever incidentes antes mesmo que eles ocorram.

"O que estamos fazendo é integrar mais elementos de automação dentro de nossa plataforma de gerenciamento", resume o Chief Strategy Officer (CSO) da ServiceNow, Dave Wright. 

Segundo Wright, apesar do produto ainda estar no começo, o interesse das empresas na novidade é grande. Uma pesquisa global feita pela companhia com 1,874 executivos apontou que o fluxo de trabalho aumentou cerca de 20% no último ano, mas apenas 42% destes processos são automatizados.

Perguntado sobre como a automação poderá se repercutir no cenário futuro para que é funcionário de TI, o CSO manteve o otimismo, apontando que o perfil do funcionário certamente deverá mudar, mas não vê um futuro distópico onde os homens serão substituídos por máquinas.

"Em nossas conversas com muitos CIOs, o foco ao adotar machine learning e inteligência artificial sempre foi o de redirecionar recursos internos para áreas mais estratégicas do negócio, nunca de redução de funcionários", completa Wright.

* Leandro Souza viajou para o Knowledge 17, em Orlando, a convite da ServiceNow.