Google Glass, em breve em locais não recomendados para menores.

O Google Glass, óculos de realidade aumentada que é o gadget mais desejado do momento, pode representar uma revolução nos filmes pornográficos, sempre early adopters de novas tecnologias desde a época do VHS até o streaming online de conteúdo.

Segundo uma matéria do Mashable citando fontes da indústria, a tendência é que o Google Glass seja usado por atores e atrizes para produzir filmes a partir do ponto de vista dos protagonistas, enquadramento conhecimento no ramo como estilo point of view (POV).

Hoje, gravações POV já existem, mas são complicadas pelo fato que as câmeras não são tão confortáveis de operar – não esqueçamos que os atores estão fazendo outra coisa ao mesmo tempo - como um óculos.

As possibilidades incluem inclusive novos gêneros, como filmes do ponto de vista das mulheres ou orientados ao mercado lésbico, que as fontes ouvidas pelo Mashable consideram um “mercado intocado”.

A matéria especula inclusive sobre implicações mais sociológicas, como o eventual desenvolvimento de um fetiche por óculos pelo público. O Google Glass deve chegar ao mercado por US$ 1,5 mil.

Qualquer mudança, no entanto, ainda demorar alguns meses. O Google ainda está em fase beta com o Glass, com 8 mil usuários que escreveram uma carta para empresa justificando porque deveriam estar no grupo. Pelo que se sabe, nenhum deles é um ator ou atriz pornô.