O Boticário leva investimento do BNDES para expandir. Foto: Flickr.com/brunajust

O BNDES aprovou um financiamento de R$ 306 milhões para o Grupo Boticário.

Realizada no fim de março, a operação é a maior já realizada para uma empresa de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, segundo o Valor Econômico.

O aporte se soma a outros R$ 256 milhões que o banco já havia destinado para a companhia em dezembro de 2012.

Ou seja: R$ 562 milhões já aprovados pela instituição para empréstimo à empresa paranaense, dos quais a maior parte irá para a construção de uma fábrica e de um centro de distribuição na Bahia.

A abertura de 40 novas lojas próprias e 148 franqueadas ao longo de 2013 também está nos planos.

Além de ser o maior financiamento já feito pelo BNDES para uma companhia deste setor, o aporte tem também outra particularidade: prevê o repasse de parte do valor aos franqueados da marca em condições semelhantes às praticadas pela estatal em empréstimos para micro, pequenas e médias empresas.

Traduzindo, há a cobrança de taxa de juros de longo prazo (TJLP, hoje em 5% ao ano) mais 0,9% ao ano e um spread de risco.

A meta é dar aos franqueados acesso a recursos mais baratos do que conseguiriam na rede comercial.

Fora os aportes do BNDES, o Boticário também aporta parte própria, totalizando investimentos de R$ 650 milhões, segundo o Valor.

Isso porque, além das construções já mencionadas, a companhia paranaense vai investir também na modernização de sua fábrica em São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, onde pretende duplicar a capacidade produtiva de maquiagem, chegando a 75 milhões de produtos/ano.

O Grupo Boticário é detentor das marcas O Boticário, Eudora, Quem Disse, Berenice? e Skingen Inteligência Genética.

No ano passado, o faturamento da corporação ficou em cerca de R$ 6,6 bilhões, conforme dados preliminares ainda não confirmados.