Gol apostou suas fichas no novo modelo da Boeing. Foto: flickr.com/photos/3336/26742278859/

A Gol tem em uso dentro do Brasil sete aviões Boeing 737 MAX, modelo da multinacional de aviação que está sob suspeita depois de dois acidentes graves em um curto espaço de tempo.

No domingo, 10, um 737 MAX da Ethiopian Airlines caiu em Addis Abeba, matando 157 pessoas. Em outubro, já havia acontecido o mesmo com uma aeronave do mesmo modelo da companhia aérea indonésia Lion Air, causando 189 vítimas em Jacarta.

Ambos acidentes aconteceram logo após a decolagem e não deixaram sobreviventes.

A Gol é a única companhia aérea brasileira com modelos novos da série MAX em sua frota, informa a Deustche Welle.  Atualmente sete aeronaves estão em operação – nas rotas de Brasília e Fortaleza para Miami e Orlando, além de São Paulo a Quito.

Os dois acidentes levantaram preocupações sobre a série MAX, que a Boeing lançou há menos de dois anos. 

Nesta segunda-feira, 11, a autoridade de aviação da China ordenou todas as companhias aéreas chinesas que suspendessem o uso de suas aeronaves 737 MAX, cujo número chega a 100 no país.

"Levando em consideração que os dois acidentes envolveram aviões Boeing 737 MAX 8 recém-entregues e ocorreram durante a fase de decolagem, presumimos que eles têm algum grau de similaridade", disse a autoridade chinesa.

Horas depois, o governo da Indonésia tomou a mesma medida. Ao todo, a Lion Air tem 14 aviões do tipo, com outros 201 encomedados.

A Ethiopian Airlines também suspendeu o uso de seus quatro aviões 737 MAX 8 restantes – outras 25 unidades ainda não foram entregues. Paralelamente, a Cayman Airways também anunciou que deixará temporariamente em solo seus dois aviões do mesmo modelo.

A série MAX é a versão mais recente do bimotor de corredor único da Boeing. 

O modelo lançado em 2017 é mais eficiente em termos de combustível em comparação com seus antecessores e há quatro variantes: MAX 7, MAX 8, MAX 9 e MAX 10, que podem transportar entre 138 e 204 passageiros e foram projetadas para voos de curta e média distância.

As versões anteriores do Boeing 737 são consideradas uma das aeronaves comerciais mais confiáveis da história da aviação.

A Boeing já finalizou a entrega de cerca de 350 unidades da série MAX – a primeira feita em maio de 2017 à Malindo Air, com sede na Malásia. Até o momento, mais de 60 companhias aéreas encomendaram cerca de cinco mil aeronaves da série MAX. 

Os principais clientes europeus incluem as companhias aéreas de baixo custo Ryanair e Norwegian.

No Brasil, a versão atualizada do avião comercial mais vendido da história foi a aposta da Gol para a sua planejada expansão internacional – a companhia encomendou 135 unidades dos modelos MAX 8 e MAX 10. 

A meta da Gol é concluir até 2028 a renovação de sua frota dos atuais modelos Boeing 737, fabricados nas décadas de 1990 e 2000. 

A companhia aérea brasileira certamente terá complicações para executar seus planos. A coisa ficou ainda mais feia para a Boeing: as ações caíram 11%, a maior queda desde o ataque terrotista em 11 de setembro, em 2001.